Treinador com mais vitórias da Era Pontos Corridos do Brasileirão, agora com 225 triunfos, Cuca celebrou o primeiro resultado positivo do Atlético como mandante na edição deste ano do torneio: 1 a 0 em cima do São Paulo, neste domingo (13), no Mineirão, pela terceira rodada.

Mesmo admitindo que não foi uma partida primorosa em termos técnicos, exaltou o espírito de combate e a raça de sua equipe, assim como a compactação do sistema defensivo e a saída de bola em parte do duelo.

“Principalmente no primeiro tempo, tivemos o controle e exploramos algumas situações. Uma delas resultou no gol. Até aquele momento, tínhamos a saída de bola muito qualificada. Depois do gol, o adversário mudou, abriu mão do terceiro zagueiro e fez a linha de quatro. E a gente teve que se adaptar a isso. Não tivemos grandes riscos. Mais uma partida em que não se toma gol e se pega corpo. Temos que comemorar muito pelo tipo de vitória”, avaliou o comandante.

Sem Savarino, que está servindo a seleção venezuelana, Cuca vem encontrando outras maneiras de formatar o ataque alvinegro. Neste domingo, assim como em outras ocasiões, optou pelo meia Hyoran. Mas se engana quem pensa que houve uma mudança brusca no quesito tático.

“O Hyoran é um atacante. O Keno é um atacante. Se posicionam diferente apenas. O Echaporã, o Hulk, o Nacho... O Jair fez o gol porque chega ao ataque, assim como o Allan, o Tchê Tchê, o Arana... Importante não é quantos temos à frente, mas sim quantos chegam à frente”, comentou.

Atlético