Primeiro foram as motos, com o Campeonato Brasileiro, que volta em outubro. Agora é a vez dos melhores do país sobre quatro rodas visitarem o Circuito dos Cristais, em Curvelo, para a terceira temporada da categoria que mais cresce no automobilismo brasileiro: o Turismo Nacional 1.600cc, que reúne os modelos de produção em série devidamente preparados.

Em ação, na sexta e no sábado, mais de 60 máquinas, divididas em duas classes principais: a 1, para os carros fabricados a partir de 2017, e a 2, para modelos produzidos antes disso.

Mesmo sem o apoio das montadoras (uma  das metas dos  organizadores para os próximos anos), os grids reúnem uma variedade de compactos – os Fiat Mobi,  Uno e Palio; Ford Ka e New Fiesta; Chevrolet Onix, Corsa e Celta; Hyundai HB20; Toyota Etios; Volkswagen Gol e Up e Peugeot 208.
Com tantos carros e talento reunido no mesmo grid, as diferenças nas tomadas de tempos são mínimas e o regulamento ajuda a deixar o espetáculo ainda maior nas quatro corridas de cada classe. A ordem de largada da segunda e da quarta é invertida de acordo com os resultados das provas anteriores, obrigando os vencedores a remar o pelotão para tentar voltar ao pódio.

Anfitriões

Numa lista que inclui feras de Rio Grande do Sul, Santa Catarina (muitos vindos da velocidade na terra), Paraná, São Paulo, Rio, Goiás, Distrito Federal, Bahia e Mato Grosso do Sul, os anfitriões chegam a um traçado conhecido com a liderança na Classe 1 divisão Super, com  os irmãos Leandro e Wanderson Freitas (Gol), atuais bicampeões da Classe 2; e na 1A, com Thiago Tambasco (Onix). No mesmo grid estará Gustavo Mascarenhas (Uno), quarto colocado na Super e que corre literalmente em casa.

Expectativa de bom resultado também para Wilton Pena (Gol), depois da estreia frustrada em Guaporé – o carro 53 foi tocado na primeira curva da primeira corrida e acabou capotando, felizmente sem ferimentos para o piloto. O juiz-forano Luiz Filgueiras divide o comando de um VW Gol com Rodrigo Moreno – o regulamento permite a participação de duplas que se alternam nas quatro corridas de cada etapa e pontuam em conjunto.

E se as duas primeiras ertapas (Londrina e Guaporé) não tiveram representação mineira na Classe 2, três carros da casa se juntam a uma disputa que tem sido emocionante e equilibrada. Alexandre Salum; Adhemar Colen/João Neto e Fred Mol se juntam ao grupo encabeçado pelo paulista Lamartine Pinotti (Gol), dois pontos à frente de João Paulo Naumes e Alisson Nurnberg.

A movimentação da terceira etapa do Turismo Nacional tem início sexta-feira, com três sessões de treinos livres por classe, seguidos das tomadas de tempos, separadas por classe.

No sábado as corridas começam às 9h (as duas primeiras de cada classe, em sequência), com as restantes depois da pausa do almoço. A entrada é franca, com o acesso ao paddock custando R$ 10 e a visitação aos boxes R$ 30.

Mineiro

A terceira etapa do Turismo Nacional 1.600 comanda a programação do fim de semana no Circuito dos Cristais, em Curvelo, mas não será a única atração. O traçado de 4.420m de extensão recebe ainda a terceira etapa do Mineiro de Marcas e a segunda da Copa Classic, no domingo (16), o que marcará um recorde de inscritos em ação sobre quatro rodas no complexo (mais de 90).

O Marcas tem como destaque a categoria 1.400cc, criada este ano para reduzir os custos de participação e estimular a revelação de novos pilotos – os modelos até 1.600cc dividem o grid, com classificação à parte. O sistema de disputa é o mesmo adotado na competição nacional, com quatro corridas, divididas em sequência – tão logo os carros recebem a bandeirada na primeira/terceira, alinham para a segunda/quarta.

Já a Classic reúne modelos fabricados até 1989 com motores até 2.000cc, agrupados nas categorias 1.600cc Light; 1.600cc Super e 2.000cc Super. Em ação, máquinas que fizeram história nas ruas como Fusca, Uno, Gol, Passat, Chevette, Voyage e esportivos exclusivos, como Puma e Bianco.

Leia mais sobre automobilismo e motociclismo no site Racemotor (https://www.racemotor.com.br).