Sete meses e meio se passaram e a paisagem do Estádio Independência ainda não voltou ao que era antes da instalação de arquibancadas móveis. Com a desistência de prosseguir com a obra, a retirada do equipamento ficou travada na Justiça. E segundo o Hoje em Dia apurou, o custo de R$ 600 mil para a desmontagem é que impede as ferragens de irem embora do Horto.

O América entrou com processo judicial contra a LuArenas para inviabilizar a continuidade da ampliação do Independência, mesmo de maneira provisória. O Coelho venceu a disputa, mas o processo ainda corre na 2ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias da Comarca de Belo Horizonte. 

O último despacho publicado no sistema eletrônico do TJMG, em 9 de outubro, assim dizia: "Intime-se a ré, conforme o requerido pelo América Futebol Clube em manifestação retro, para que comprove o devido cumprimento da obrigação de fazer constante no acordo firmado entre as partes, sob as penas elencadas em já mencionado acordo. Fixo o prazo de 30 dias para comprovação de que foi devidamente cumprida a obrigação de fazer".

América aguarda Justiça por atraso na retirada das arquibancadas móveis do Independência

A LuArenas alegou no processo de que a responsável pela desinstalação das arquibancadas seria a empresa Stick's Eventos S/S LTDA, ocasionando maior discussão no processo sob de quem seria a responsabilidade financeira para a retirada dos materiais.

"Houve o transcurso do prazo para retirada das arquibancadas, mas a Concessionária não o fez, sob a alegação de recusa da empresa responsável pela obra. Estão discutindo a responsabilidade financeira. Estamos aguardando despacho do Juiz após tal manifestação da Concessionária no processo", disse o advogado do América, Bruno Veloso Lago, ao Hoje em Dia, em agosto.