O atacante Eduardo Vargas tem pouco mais de três semanas de Atlético, mas já viveu muita coisa pelo clube. Mas a grande dúvida que existe desde a sua chegada, seguirá sem resposta. Apesar de o técnico Jorge Sampaoli rodar muito o seu time, seu setor ofensivo tem um trio titular bem definido, formado por Savarino, Eduardo Sasha e Keno. O chileno é ameaça a algum deles?

Vargas estreou com menos de uma semana de treinamentos na Cidade do Galo, em 14 de novembro, diante do Corinthians, na Neo Química Arena. E foi o destaque de um jogo onde substitutiu Savarino, que defendia a seleção da Venezuela nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022.

Eduardo Vargas atacante Atlético

Um pedido de Jorge Sampaoli, Eduardo Vargas estreou com grande atuação pelo Atlético, depois foi afastado por causa da Covid-19, mas agora volta ao time, sem que ainda seja possível saber se ele será titular

O chileno, que integrou com Keno e Eduardo Sasha o trio de ataque do Atlético, sofreu um pênalti claro de Gil, no início do confronto, não marcado pela arbitragem, e depois deu uma assistência de calcanhar para Guilherme Arana abrir o caminho para a virada do Galo, que venceu por 2 a 1.

Integrante do grupo diagnosticado com o novo coronavírus, Eduardo Vargas ficou de fora das partidas contra Athletico-PR, Ceará e Botafogo. Agora, pode retornar diante do Internacional, no próximo domingo (6), às 18h15, no Mineirão. Só que, mais uma vez, Jorge Sampaoli não poderá contar com Savarino.

O venezuelano recebeu o terceiro cartão amarelo nos 2 a 1 sobre o Botafogo, na última quarta-feira (25), no Mineirão, quando marcou um gol e deu uma assistência, e cumpre suspensão.

Assim, a tendência é de que o treinador argentino escale diante do Colorado o mesmo ataque que iniciou a partida contra o Corinthians, dia 14, em São Paulo.

Quem sairia?

Artilheiro do Atlético nesta Série A, com 10 gols, e principal peça ofensiva do time, Keno não corre risco com a chegada de Eduardo Vargas. Assim, restam as vagas de Savarino, a quem ele deve substituir pela segunda vez no próximo domingo, e Eduardo Sasha.

O chileno pode fazer as duas funções, atuando pelo lado ou centralizado, embora tenha sido assim que apareceu mais no jogo contra o Corinthians, inclusive no lance em que recebeu o pênalti de Gil, não marcado, como também quando deu a assistência para Guilherme Arana.

O conjunto da obra de Savarino é mais eficiente, por mais que tenha atuado mais que Sasha. Em 29 partidas, o venezuelano tem sete gols e sete assistências, contra seis bolas na rede e dois passes decisivos para o camisa 18.

De toda forma, a decisão de Sampaoli levará em conta o funcionamento do time. E não será surpresa se o ataque atleticano, composto por três jogadores, passar a ter quatro integrantes.