Que até empates por 0 a 0 ou 1 a 1 garantem a vaga do Atlético na terceira fase da Libertadores, o torcedor alvinegro sabe. Mas a formação que encara o Danubio, do Uruguai, nesta terça-feira (12), às 19h15, no Independência, na partida de volta da segunda fase, é uma incógnita.

A tendência é pela repetição da equipe que iniciou o jogo da semana passada, em Montevidéu, que terminou 2 a 2. Mas há gente que não entrou em campo de cara na capital uruguaia e pede passagem no time.

Nessa turma, quem tem mais chance de ser titular nesta terça-feira é Zé Welison, que briga com Adilson pela condição de primeiro volante da equipe alvinegra.

Ele, assim como o titular, não foi a Poços de Caldas no último sábado (9), para o 1 a 0 sobre a Caldense, mesma situação vivida pelo atacante Maicon Bolt, que deu o passe para o segundo gol de Ricardo Oliveira em Montevidéu.

Este tem menos chances de ser titular nesta terça-feira. Se isso acontecer, deve ser na vaga de Chará.

A terceira dúvida no time de Levir parece muito mais um desejo da torcida que uma decisão do treinador. O jovem Guga, de 20 anos, contratado ao Avaí, pede passagem na lateral direita, que perdeu o titular Emerson, mas que está entregue ao contestado Patric.

asdr

CLIQUE PARA AMPLIAR

Marca

No gol atleticano em 42 dos 49 jogos disputados pelo clube na Libertadores a partir de 2013, Victor, jogador que mais atuou pelo Galo no torneio, é uma marca desta nova era alvinegra.

E a maior prova disso é que diante do Danubio ele passa a ter dez jogos a mais que o clube em mais de meio século da competição (1960 a 2012).

Entrevistado na última segunda-feira (11) na Cidade do Galo, o goleiro, conhecedor das armadilhas da Libertadores, teve um discurso de respeito ao adversário e precaução.

Elogiou a atuação do goleiro Cristóforo, do Danubio, na partida de ida, garantindo que o Atlético só não tem uma vantagem no placar por causa dele. Mas mostrou confiança numa grande atuação dos atacantes do seu time, principalmente Ricardo Oliveira e Cazares, que fazem um grande início de temporada em 2019.

E o desempenho do time titular do Atlético no Independência, até agora, é mesmo animador, pois são nove gols em dois jogos, ambos pelo Estadual, com Ricardo Oliveira balançando a rede cinco vezes.

Victor destacou ainda estar pronto para uma eventual disputa de pênaltis, embora ela só aconteça se o Danubio conseguir um 2 a 2 dentro do Horto.

Quem passar deste confronto enfrenta na terceira fase Barcelona, do Eqaudor, ou Defensor, do Uruguai, que jogam também nesta terça-feira, às 21h30 (de Brasília), em Guaiaquil.

Os equatorianos venceram semana passada, em Montevidéu, por 2 a 1, mas foram declarados perdedores por 3 a 0 pelo tribunal da Conmebol pela escalação irregular do jogador Cardona. Os jogos da terceira fase acontecem nas duas próximas semanas.

A FICHA DO JOGO

ATLÉTICO
Victor; Patric (Guga), Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Adilson (Zé Welison) e Elias; Chará (Maicon Bolt), Cazares e Luan; Ricardo Oliveira.
Técnico: Levir Culpi
DANUBIO
Cristóforo; Sergio Felipe, Renzo Ramírez, Goñi e Leandro Sosa; Siles e Montes; Denis Olivera, Grossmüller e Onetto; Federico Rodríguez.
Técnico: Marcelo Méndez
HORÁRIO: 19H15
LOCAL: ESTÁDIO INDEPENDÊNCIA
CIDADE: Belo Horizonte
MOTIVO: Partida de volta da segunda fase da Copa Libertadores
ARBITRAGEM: Patrico Loustau, auxiliado por Diego Bonfa e Ezequiel Brailovsky, todos da Argentina
TRANSMISSÃO: Fox Sports

Leia mais:

Atlético encara o Danubio e luta contra a 'Síndrome dos Três Patetas'

Iguais só nos pontos: rivais do clássico, América e Cruzeiro têm semanas distintas