Buscando mostrar um lado diferente do primeiro clássico das quartas de final da Copa do Brasil, o Hoje em Dia acompanhou de perto os bastidores da torcida do Atlético, visitante no duelo contra o Cruzeiro, no Mineirão. Da concentração da Galoucura, maior Organizada do clube, ao apito final, a reportagem registrou momentos de alegria, nervosismo, apoio incondicional e, após os 90 minutos, o sabor amargo da derrota por 3 a 0 para o maior rival.

A convite do departamento de imprensa da Polícia Militar de Minas Gerais, sob comando da Capitão Layla Brunella, a equipe do HD acompanhou todo o procedimento de escolta dos torcedores, que se concentraram na sede localizada no bairro Bonfim. Além de acompanhar a estratégia do Batalhão de Choque (orientações, revista e escolta), foi possível também dar voz aos atleticanos.

Já no Gigante da Pampulha, antes de a bola rolar, o clima se fez traquilo na maior parte do tempo. Contudo, com o apito inicial do árbitro Raphael Clauss, vários atleticanos perderam a paciência com a equipe de segurança contratada para o confronto. Numa enorme aglomeração nas catracas - alguns torcedores tiveram problemas com os tickets -, uma confusão foi formada e, impacientes, muitos resolveram pular as catracas.

Dentro do estádio, o que se viu foi a torcida alvinegra apoiando o time como já de costume. Mesmo com o revés no placar, os comandados do técnico Rodrigo Santana não deixaram de ouvir o grito da Massa nas cadeiras. Pouco mais de 4 mil tentaram ganhar no grito dos 40 mil cruzeirenses, mandantes.

Contudo, nos minutos finais, não teve como não sucumbir ao elástico 3 a 0, que complica e muito a situação atleticana na Copa do Brasil. Ouvindo a festa celeste, restou se recolher, lamentar e voltar para casa com a frustração.

Na próxima quarta-feira (17), será a vez de acompanhar de perto os bastidores da torcida do Cruzeiro, desta vez, visitante. A partida está marcada para às 19h15 no Independência e contará com maioria atleticana no Horto.