Com pouco mais de um ano à frente da presidência do Atlético, Alexandre Kalil apresentou Vanderlei Luxemburgo com a esperança de que o experiente treinador levasse o Galo ao caminho das conquistas.

No dia 9 de dezembro de 2009, Luxa foi recebido por dezenas de torcedores no Aeroporto de Confins, também foi saudado por vários atleticanos que o aguardavam na sede de Lourdes – onde assinou o contrato – e depois seguiu para a Cidade do Galo para ser apresentado.

Vanderlei Luxemburgo Atlético

Nas primeiras palavras como comandante do Atlético, Luxemburgo afirmou que não ia prometer títulos, mas que sabia que ia ganhá-los.

A conquista do Campeonato Mineiro de 2010 sobre o Ipatinga criou grande expectativa no torcedor do Galo, que sonhou com voos mais altos.

Entretanto, o péssimo desempenho no Campeonato Brasileiro custou o emprego de Luxa.

Mesmo com um elenco formado por jogadores de renome, como Ricardinho, Diego Souza, Daniel Carvalho, Réver e Diego Tardelli, o “profexô” não conseguiu fazer com que a equipe tivesse um bom rendimento.

Uma fratura na perna direita durante uma disputa de bola com o ex-volante Fabiano, que inclusive é seu genro, durante um rachão na Cidade do Galo, atrapalhou ainda mais a passagem do treinado no clube.

Com apenas 21 pontos em 24 jogos, o treinador foi demitido após a goleada sofrida por 5 a 1 para o Fluminense, no dia 23 de setembro no Engenhão, que manteve o Alvinegro na zona de rebaixamento do torneio.

Luxa dirigiu o Atlético em 53 jogos, com 22 vitórias, 12 empates e 19 derrotas, e foi substituído por Dorival Júnior, que conseguiu salvar a equipe do rebaixamento.