jose dalai rocha, cruzeiro, dalai

 

Os conselheiros do Cruzeiro começaram a receber nesta quarta-feira (13) o estudo para a reforma do estatuto do Cruzeiro. O documento está sendo enviado pelas redes sociais, por mensagens do aplicativo Whatsapp, e a intenção do presidente interino José Dalai Rocha é iniciar os debates para promover melhorias significativas no regimento do clube.

Coincidentemente, o estudo para a reforma do estatuto está sendo enviado no mesmo dia em que torcedores levaram um carro de som para a porta da sede administrativa do clube, no Barro Preto, pedindo que o próprio Dalai acelere a convocação da Assembleia Geral no Conselho Deliberativo para a votação do novo regimento cruzeirense.

"Recebi com muito carinho a mensagem dos torcedores, recebi com coração aberto. Parece que tinha um conduíte levando o som do aparelho ao coração. Uma surpresa muito grande. Sobre o pedido dos torcedores, infelizmente, não é possível resolver rapidamente. É possível realizar, claro, mas não com a urgência que eles gostariam. O estatuto não pode ser reformado com pressa.

Hoje os conselheiros estão recebendo o projeto dessa reforma e daremos início a essa discussão do novo documento", disse Dalai em entrevista ao Hoje em Dia. 

Novo Estatuto

A primeira página do estudo do novo estatudo do Cruzeiro é uma carta de Dalai Rocha aos conselheiros. Nessa parte do documento o presidente interino do clube explica a fundamentação do projeto da "nova Constituição do clube"

"Considerando as crescentes mudanças no cenário esportivo nacional e internacional, é evidente a necessidade de adequação do Cruzeiro as novas práticas de gestão profissional e transparência. Com esta finalidade, o presente estudo foi elaborado, destacando pontos que entendemos fundamentais para as alterações. O foco é o melhor desempenho esportivo e a sintonia com a legislação vigente. Contamos com a colaboração de todos para o aperfeiçoamento destas sugestões", diz o presidente. 

Mudanças no estatuto

O HD teve acesso ao estudo do novo estatuto do Cruzeiro. O documento tem 41 páginas e promoveu mudanças em quase todas as disposições do antigo documento.