Ele começou o ano praticamente sem testes, obrigado a se adaptar a circuitos desconhecidos e encarando uma das principais equipes das categorias de fórmula no cenário mundial: a italiana Prema.

Nada disso foi capaz de impedir que Igor Fraga se tornasse o primeiro brasileiro a vencer uma corrida na F-Regional Europa, campeonato criado este ano para ocupar o espaço da antiga F-3, com os chassis italianos Tatuus e motorização Alfa Romeo 1.750cc turbo.

Mais uma conquista de um piloto com uma história única: nascido no Japão de pais mineiros, o ipatinguense de coração se destacou no kart asiático, venceu o Brasileiro de F-3 em 2017 e, no ano passado, disputou a F-2000 nos Estados Unidos. Ao mesmo tempo, como forma de ampliar horizontes e conseguir novos apoios, passou a se dedicar também ao automobilismo virtual, vencendo a Copa das Nações FIA do game Gran-Turismo (FIA GTC) e representando a McLaren em seu time de eSports (McLaren Shadow).

A folga no calendário do asfalto de verdade o trouxe a Ipatinga para alguns dias de folga, que também são de busca de novos patrocinadores para o restante da temporada. Com o carro da italiana DR, ele ocupa a quarta posição no campeonato, atrás de dois pilotos da Prema – o dinamarquês Frederik Vesti e Enzo Fittipaldi, neto de Emerson – e do alemão David Schumacher, filho de Ralf e sobrinho de Michael.

Um feito, considerando a força da Prema e o domínio de Vesti, vencedor de oito das 11 corridas disputadas no campeonato (a terceira de Vallelunga foi adiada devido à chuva e vai transformar a etapa de Imola, nos próximos dias 30 e 1º, em rodada quádrupla).

No Red Bull Ring, Igor resistiu à pressão de Vesti ao longo da maior parte das 20 voltas, levando o rival a um erro na última passagem que proporcionou uma dobradinha verde e amarela, com Fittipaldi em segundo.

Simulador

Não só em Imola, mas também nas outras três etapas restantes – Barcelona e as italianas Mugello (próximo a Florença) e Monza, mais uma vez boa parte da preparação vai se dar no simulador. Uma forma de compensar a menor intimidade com os traçados.

Nas pistas virtuais, aliás, os bons resultados também prosseguem. O mineiro venceu a etapa de Nurburgring do FIA GTC e se classificou para mais uma final da disputa, em busca do bicampeonato.

Leia mais sobre automobilismo e motociclismo no site Racemotor (https://www.racemotor.com.br)

RÁPIDAS

TUNICO MACIEL VENCE, NAS MOTOS, ETAPA DE 30 ANOS DO IBITIPOCA OFF-ROAD

Edição especial, vencedor inédito. A prova que marcou os 30 anos do Ibitipoca Off-Road consagrou o lavrense Tunico Maciel como vencedor entre as motos, na categoria Master do enduro de regularidade. O piloto da Honda travou um duelo emocionante com o paranaense Emerson Loth, o Bombadinho. Mais de 500 motos encararam os dois dias de desafio, que levaram a caravana de Juiz de Fora e Ibitipoca no sábado, retornando ao ponto de partida no domingo. Apesar da presença de competidores de todo o país, apenas em duas categorias (Pais e Filhos e Feminina) a vitória não ficou com os mineiros. Também de Lavras, Dário Júlio levou a melhor na Brasil. Samir Amaral, de Santos Dumont, venceu na Sênior; Arthur Teodoro, de Juiz de Fora; na Júnior; além de Jayme do Vale Ribeiro, na Novato. Situação semelhante nas duplas e nas categorias por faixa etária.

DUPLAS DE JUIZ DE FORA DOMINAM A DISPUTA ENTRE OS CARROS

Entre os carros, o Ibitipoca Off-Road valeu pelo Novo Rally MG, campeonato de regularidade, reunindo 75 veículos. O conhecimento do terreno se mostrou decisivo. Tanto assim que, em três categorias, a vitória ficou com duplas de Juiz de Fora. Na Master, festa de Pedro Agrelle/Matheus Mazzei (Troller T4), à frente dos fluminenses Guga Valente/Cristiano Serpa. Rodrigo Peternelli/Luana Alvarenga (Mitsubishi Pajero Full) levaram na Graduados. Diego Fernandes/Bernardo Gravina (Mitsubishi TR4) foram os campeões na Turismo Light. Os ‘intrusos’ na festa foram os paulistas Osvaldo Prezotto/Nathália Graciano (Mitsubishi Pajero Full), na Turismo.

PENÚLTIMA ETAPA DO GP GERAIS CONSAGRA O PRIMEIRO CAMPEÃO NA MOTOVELOCIDADE

Mais uma vez o Circuito dos Cristais, em Curvelo, foi ‘invadido’ por pilotos de todo o país, na quarta e penúltima etapa do GP Gerais, válido como Mineiro de Motovelocidade. E já tem piloto com o troféu de campeão assegurado: Rodrigo Gregório, o Diguinho, na Sport 300cc. Na Superbike 1.000cc Pro, mais uma vitória do campeão brasileiro Danilo Lewis, com uma BMW. Ronan Dias foi o melhor na divisão Evo, enquanto Michel Abboud bateu o irmão Jirios na Master. Osvaldo ‘Duende’ foi o melhor na Supersport 600cc, enquanto Caíque Lanna venceu na Supersport 300cc. Lucas Cavalcanti, Genildo Batista e Marcelo Strunk foram os melhores, respectivamente, na Light 1.000cc; Light 600cc e Naked (sem carenagem).