A Copa América deu aos clubes brasileiros “um presente” no meio da temporada: a possibilidade de, entre junho e julho, alguns arrumarem a casa e outros melhorarem aquilo que já rende bons frutos.
 
Em Minas Gerais, há uma dicotomia visível em relação a Atlético e Cruzeiro. No lado azul, a pausa no calendário é vista como “providencial”, já que os bastidores da Raposa estão em chamas, e, consequentemente, brasas intensas ditam o calor dos conflitos políticos que incendeiam o vestiário do clube.
 
Já no lado alvinegro, uma paz maior é creditada ao trabalho do quase efetivo Rodrigo Santana. O técnico que eliminou o Santos do “queridinho” Sampaoli na Copa do Brasil também briga na parte de cima da tabela do Brasileirão.
 
Apesar de ter mais tranquilidade, há o entendimento no alvinegro de que um planejamento melhor pode ser feito nessa parada da Copa América.
 
O diretor de futebol atleticano, Rui Costa, chegou à Cidade do Galo com um cenário bem diferente, de cobrança por reforços e resultados quase que imediatos. E o presidente Sérgio Sette Câmara, de vilão, agora até tira foto e dá autógrafos aos atleticanos.
 
Durante essa “suspensão” do calendário nacional para a disputa entre seleções sul-americanas, todas as equipes da Série A do Brasileiro incrementaram seus cronogramas com atividades na famosa intertemporada.
 
Alerta ligado
 
Mesmo em queda acentuada, o Cruzeiro concedeu aos jogadores folga dentro do prazo médio adotado por todas as demais agremiações, que param entre os dias 13 e 15 de junho até algo em torno de 23 ou 24 do mesmo mês. Fato que desagradou a alguns torcedores. “Nessa fase terrível e dando folga de 11 dias...”, era a reclamação mais vista nas redes sociais.
 
“Vamos sair e dar uma descansada (...) nos recuperar mental e fisicamente. Depois, no dia 24, voltaremos a trabalhar. Aí ficaremos concentrados como fizemos outras vezes (...) e trabalharemos em dois turnos. Não queremos perder o ritmo e nem deixar essa melhora significativa cair e ficar para trás”, disse Mano Menezes, que viu seu nome, como há muito tempo não acontecia, ser contestado de forma abrupta no Cruzeiro.
 
Nessa levada turbulenta, a Raposa ainda deve perder um jogador do seu elenco principal. O zagueiro Murilo, campeão do Torneio de Toulon com a Seleção Brasileira Olímpica, está de malas prontas para o Lokomotiv Moscou, da Rússia. A negociação gira em torno de R$ 11 milhões.
 
Tranquilidade
 
Se o rival está maltrapilho, o Atlético “se veste melhor” para o momento e aproveita para reforçar o elenco. Já chegaram o lateral-esquerdo uruguaio Lucas Hernández e o volante paraguaio Ramón Martinez. Contratações não tão badaladas, mas que ajudarão a preencher lacunas importantes no grupo de Rodrigo Santana.
 
“Eu calculava, no mínimo, 16 pontos de quando começou o Brasileiro até essa pausa”, disse o treinador, após empate com o São Paulo antes da parada para a Copa América. “Não conversei sobre o futuro, não sei como vai ser. Estou feliz de estar aqui, feliz de estar vivo na Sul-Americana, na Copa do Brasil e brigando pela ponta da tabela (do Brasileirão)”, explicou Rodrigo Santana. 
 
Outros
 
Além de Atlético e Cruzeiro, os demais times da Série A do Brasileiro estabeleceram suas programações até o retorno das partidas oficiais. Cada clube, obviamente, entregou uma cartilha aos jogadores, para que estes mantenham a forma física. Em alguns casos, as orientações são mais “brandas”. Em outros, o descanso é acompanhado de treinos individuais.
 
Líder do torneio, com 22 pontos, dois a mais que o Santos, segundo colocado, o Palmeiras resolveu prolongar sua agenda, dando mais alguns dias de folga a seus atletas. Inicialmente, o retorno estava marcado para o dia 21 deste mês, mas só acontecerá três dias depois. E somente a partir de hoje é que eles terão de seguir uma dieta e uma rotina de atividades físicas.
 
No outro lado do muro, os jogadores do São Paulo vivem uma situação distinta. Embora retornem no mesmo dia que o Palmeiras, os tricolores sabem que estão devendo – o time é apenas o nono colocado. 
 
Nesse fim de semana, o atacante Alexandre Pato postou uma foto em seu Instagram, na qual ele aparece correndo sobre uma esteira e com os dizeres “Recovery time! No stop!” (“Tempo de recuperação! Sem parar!”, em tradução livre). 
 
Enquanto os jogadores dos times seguem de folga, as diretorias dos clubes vão ao mercado com o intuito de qualificar ainda mais seus elencos. No Corinthians, existe a expectativa de um retorno do zagueiro Gil, do Shandong Luneng, da China.
 
Por sua vez, o Flamengo, que espera a chegada do lateral-direito Rafinha, marcada para o dia 24, e do técnico Jorge Jesus, ainda pretende angariar mais algum nome para seu plantel. (Com colaboração de Luciano Dias e Hugo Lobão, sob supervisão de Thiago Prata)