Aquela história que diz que “quando o coletivo funciona, o individual aparece” tem sido a tônica do Atlético nesta temporada. Campeão mineiro e primeiro lugar geral da fase de grupos da Copa Libertadores, o Galo vê Hulk disparar na liderança da artilharia do time e Nacho liderando uma briga acirrada pela ponta da lista de garçons. E a dupla quer mais.

Na temporada 2020, Keno foi o goleador do Alvinegro, com 11 bolas na rede, tendo atuado por cerca de sete meses nesse período. Uma marca que, provavelmente, será alcançada – e ultrapassada – por Hulk muito em breve, já que, em menos de três meses desde sua estreia, o Vingador já soma oito tentos.

Garçons

Já no quesito passes a gol, o Atlético teve Arana e Keno como principais personagens na season 2020, cada um deles com dez assistências. Savarino, com oito, e Hyoran, com seis, também se destacaram na função.

Na atual temporada, Nacho Fernández computa cinco passes a gol, ou seja, metade do que cada líder de 2020 conseguiu, e isso com pouco mais de dois meses no clube. Atrás dele aparecem Savarino, com quatro assistências, Hulk e Calebe, com três, e Arana e Tardelli, com duas.

Os números individuais e coletivos apontam para uma mudança de patamar no Galo. Se em 2020, o time acumulou fracassos na Sul-Americana e na Copa do Brasil, perdeu o título do Brasileiro e comemorou apenas o Mineiro, em 2021, a expectativa é de que a história seja bem diferente. E, pelo que mostrou até agora, há fortes indícios para a Massa acreditar.

Leia Mais:
Editor de Esportes do HD fala dos quatro primeiros objetivos alcançados pelo Galo na temporada

Marrony dá fim a um longo tabu e começa a ganhar espaço
Bagunça organizada parte II: Cuca 'repete' em 2021 fórmula de sucesso do ataque de 2013