O empate em 2 a 2 entre América e Caldense, nessa quarta-feira (22), no Independência, reservou um episódio lamentável. Um integrante da Seita Verde, uma organizada do Coelho, foi retirado das arquibancadas, após proferir palavras de cunho racista ao zagueiro Eduardo Bauermann.
 
Nesta quinta-feira (23), o América, por meio de uma nota oficial, manifestou repúdio aos comentários racistas do torcedor. “A luta por uma sociedade diversa, igual e respeitosa é de todos nós. Em nossa casa, o racismo não passará!”, dizia parte da nota.
 
América
 
A Seita Verde também fez um comunicado por meio de suas redes sociais. “O campeonato começou de uma maneira inadmissível, não pelo placar em casa, mas pela manifestação racista de um ‘torcedor’ após a virada do adversário. Assim como foi hoje, atos como esse não serão tolerados na arquibancada, o racista foi conduzido até a PM. A Seita Verde é uma torcida do povo, para o povo, e, por assim ser, não compactua com esse tipo de ação”, afirmou.
 
Confira na íntegra a nota do América:
 
“O América Futebol Clube tomou conhecimento, por meio de manifestações de torcedores nas redes sociais, de comentários racistas praticados por um indivíduo na arquibancada da Arena Independência, na noite dessa quarta-feira, durante o duelo contra a Caldense-MG.
 
Os insultos racistas revoltaram os torcedores americanos que estavam no estádio com o único intuito de apoiar nosso time.
 
O América FC manifesta seu total repúdio a qualquer ato de discriminação racial, seja dentro ou fora do futebol. Qualquer indivíduo que tenha esse tipo de atitude não representa o América FC e sua torcida.
 
Aproveitamos para parabenizar os verdadeiros torcedores americanos que, no momento dos insultos racistas, não foram omissos e se manifestaram contra a atitude do agressor. A luta por uma sociedade diversa, igual e respeitosa é de todos nós. Em nossa casa, o racismo não passará!”