cruzeiro, avaí, thiago neves

A cena envolvendo jogadores e comissão técnica do Avaí, que comemoraram o empate sem gols com o Cruzeiro no Mineirão, resultado que rebaixou o time catarinense à Série B do Campeonato Brasileiro, fez com que atletas da Raposa levantassem suspeitas sobre "mala branca". Thiago Neves foi um dos que aventou a possibilidade de a equipe de Florianópolis ter recebido incentivo de outros clubes que lutam contra o rebaixamento. 

As palavras do camisa 10 cruzeirense não soaram nada bem no vestiário do Avaí. Tanto que o presidente do clube respondeu aos questionamentos de Thiago Neves.

"Eles (Cruzeiro) querem justificar a incompetência deles no jogo. O Thiago Neves que vá jogar futebol. Só o salário dele deve ser quase a metade da folha do Avaí no futebol. Não temos mais nada a falar, somente queremos terminar o campeonato com dignidade e vamos jogar para isso", disse Francisco Battistotti em entrevista ao Uol. 

Thiago Neves, na zona mista do Mineirão, após o empate do Cruzeiro com o lanterna e primeiro time rebaixado na edição 2019 do Brasileiro, não entendeu o motivo de os atletas do Avaí comemorarem o 0 a 0. 

"Eu vi, agora no vestiário, o comentário de que eles comemoraram. Só pode, né? Para comemorar depois de terem sido rebaixados, qual o motivo da comemoração? Confesso que não vi a comemoração deles, mas não vejo o porquê de os jogadores comemorarem o empate", disse o camisa 10 cruzeirense. 

avaí, Francisco José Battistotti

Presidente do Avaí contestou a declaração do meia Thiago Neves sobre 'mala branca' para o Avaí

A declaração do meia da Raposa deixou também o vice-presidente do Avaí indignado. 

"Quanto à declaração do atleta do Cruzeiro, nem merece ser comentada porque é descabida e sem nenhuma prova. O Avaí é um clube que sabe respeitar os concorrentes, independentemente do tamanho. É um clube sério. Sabe reconhecer seus limites e seus erros e não procura repassar a outros suas deficiências. Não transfere a outros o insucesso que momentaneamente enfrenta. O Avaí respeita todos os atletas do Cruzeiro e dos demais clubes das competições que participa. Jamais insinuaria que algum deles pudesse 'agir de forma não esportiva', disse Amaro Lúcio também ao UOL. 

Amaro Lúcio ainda comentou que o empate foi comemorado porque o resultado aconteceu diante de um grande clube do cenário brasileiro e sul-americano.