Dirigentes reclamam de taxas e Federação Mineira se defende

Henrique André e Alexandre Simões - Hoje em Dia
24/08/2015 às 08:55.
Atualizado em 17/11/2021 às 01:28
 (Editoria de Arte)

(Editoria de Arte)

Além dos gastos com deslocamento, alimentação e alojamento, os clubes da Segunda Divisão, que deixam as cidades de origem, têm um outro problema para resolver: as taxas cobradas pela Federação.

De acordo com Joel Vilarinho, presidente do Ituiutabano, o que a entidade cobra pela arbitragem, quadro móvel e outros serviços é absurdo. A reclamação, inclusive, é a mesma de todos os dirigentes ouvidos pela reportagem.

Na visão de José Luiz Ventura, mandatário do Ponte Nova, a FMF deveria, ao menos, bancar os custos com os árbitros.

A Federação Mineira, por sua vez, considera os argumentos e o pedido dos clubes sem fundamento.
Segundo o diretor de competições da entidade, Paulo Bracks, o valor cobrado pela arbitragem é bem menor em relação ao Módulo I do Estadual. Porém, a qualidade dos profissionais é a mesma.

Além disso, apenas três funcionários da FMF (quadro móvel) são enviados para as partidas, com o intuito de reduzir os gastos dos clubes.

“Tudo foi resolvido em reunião e com a assinatura dos participantes”, explica Bracks. “Quem disputa a Segunda Divisão sabe das dificuldades que terá pela frente”, acrescenta.

Bracks ainda ressalta que na distribuição dos clubes em grupos, foi levada em conta a proximidade das cidades, com o intuito de amenizar os custos com deslocamentos.

Compartilhar
Logotipo Hoje em DiaLogotipo Hoje em Dia

Fale conosco: (31) 3253-2207

ASSINEDigitalATENDIMENTO AO ASSINANTEBelo Horizonte 31 3236-8000Interior 31 3236-8000
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por