Apesar de ter sido aprovada por unanimidade, a regra que garante a o dobro da pontuação na última corrida do ano não agrada a todos. Quem deixa claro isso é Toto Wolff, chefe da Mercedes, que acredita que o sistema adotado é injusto.

"Eu não acho que é justo e não acho que nós deveríamos ter feito isso", disse Wolff, reconhecendo que há outros interesses para que a medida tenha sido aprovada. "Mas o detentor dos direitos comerciais, que leva o patrocínio e se preocupa com as audiências de TV, disse que é preciso manter a emoção até a última corrida, e parece que ele estava certo", completou.

Wolff fala sobre a situação já que poder viver na pele uma disputa que pode ser resolvida graças à dobra da pontuação. Com Nico Rosberg e Lewis Hamilton travando uma grande briga pela liderança, ele sabe que o duelo pode ser levado à última prova.

"Eu ficaria muito surpreso se ela (a luta pelo título) não chegar até o dobro de pontos. Mesmo se você está 30 pontos atrás, você pode dar a volta por cima em Abu Dhabi se o líder abandonar. A última corrida poderia ser o decisiva, e eu ficaria muito surpreso se o público não for maior do que normalmente seria", afirmou o dirigente, reconhecendo que, apesar de injusto, o sistema pode tornar a reta final da temporada mais atrativa.

No entanto, Wolff ressalta o quão difícil deve ser para um piloto perder um título devido à pontuação dobrada do adversário.

"Acho que o piloto que perde o título por causa do sobro de pontos deve precisar de um tratamento psicológico, mas não estamos lá ainda. A corrida entre os dois é muito próxima; abandonos vão ter um papel crucial", concluiu.

A última corrida da temporada será realizada em Abu Dhabi,  no dia 23 de novembro.