Pista liberada para pousos e decolagens no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins. Não os habituais, dos aviões de passageiros, mas os das máquinas que encaram a última etapa dos campeonatos Brasileiro e Mineiro de motocross.

A área localizada às margens da LMG-800 recebeu a terceira etapa do Mineiro, em maio, e o sucesso do evento levou a Federação Mineira (FMEMG) e a concessionária BH Airport a repetir a dose, desta vez contando também com as principais feras do país e vários pilotos estrangeiros inscritos nas principais categorias (MX1 e MX2).

BRMX

 

Ao todo, no sábado e domingo, serão 11 corridas e cerca de 380 pilotos, com direito a uma bateria extra da Elite MX (que une MX1 e MX2), adiada da etapa de Jarinu (SP). Nela, aliás, os quatro primeiros estão separados por apenas quatro pontos – o paulista Hector Assunção (Honda) lidera, seguido pelo português Paulo Alberto (Yamaha); o equatoriano Jethro Salazar (Honda) e o atual campeão, o espanhol Carlos Campano (Yamaha).

A coroa na MX1 (motos dois tempos de 125cc a 250cc/quatro tempos até 450cc) provavelmente terá sotaque. Campano lidera, um ponto à frente de Salazar, com Paulo Alberto em terceiro. Já na MX2 (dois tempos até 125cc/quatro tempos até 250), quem comanda é o catarinense Fábio Ribeiro dos Santos (Yamaha), à frente do paulista Frederico Spagnol (Kawasaki). Também definem seus títulos 50cc, 65cc, MX Jr, MX2 Jr.; Feminina, MX3, MX4 e MX5 (as três últimas por faixa etária, para os masters).


Pista
O circuito montado para a etapa tem 1.625m de extensão; seis de largura e, para aumentar o grau de dificuldade, recebeu trechos em areia, que exige maior preparo físico, com a maior parte em terra vermelha.

Para fazer jus ao ambiente, vários trechos receberam nomes ligados à aviação: há a reta da Esteira de bagagem (onde estão as costelas); as curvas da Cabeceira da pista; do Voo de cruzeiro; Airbus e da Embraer; além do salto da decolagem, não por acaso o ponto em que as motos devem chegar mais alto. Também são homenageados os destinos internacionais do Aeroporto de BH (Orlando, Lisboa, Buenos Aires e Panamá).

Os ingressos para o fim de semana podem ser adquiridos no https://lets.events/e/bh-airport-motocross-a-grande-final/, a partir de R$ 15 (meia-entrada). O espaço oferece praça de convivência; food trucks e espaço kids.

Leia mais sobre motociclismo e automobilismo no site Racemotor (https://www.racemotor.com.br)

 

RÁPIDAS

Igor Fraga vence em Monza, é terceiro na

F-Regional e testa carro da F-3 FIA

Uma semana de emoções fortes para Igor Fraga, piloto ipatinguense nascido no Japão. Na última etapa da F-Regional Europa, em Monza, ele conquistou a pole nas duas tomadas de tempo e venceu duas provas da rodada tripla, a bordo do Tatuus-Alfa Romeo da equipe DR Formula  by RP. Os resultados o fizeram superar David Schumacher (filho de Ralf) e terminar o campeonato em terceiro, somando pontos importantes para a classificação da Superlicença, documento que vale o direito de pilotar como titular na Fórmula 1. Igor nem teve tempo para comemorar e embarcou para Valencia (Espanha), onde andou pela primeira vez no carro da F-3 FIA, categoria que faz parte da programação dos GPs europeus do circo. Apesar do salto na potência (de 280 para 430cv), ele mostrou adaptação rápida e se destacou especialmente sob chuva, andando pelas equipes Carlin e Sauber Junior by Charouz. No fim de semana, o mineiro, que também é destaque no automobilismo virtual, participa de um evento do game Gran Turismo, de que é embaixador, em Tóquio.

Mineiro de Marcas trouxe novidades

em penúltima etapa na pista de Curvelo

A penúltima etapa do Mineiro de Marcas, no Circuito dos Cristais, em Curvelo, não economizou nas novidades. A começar pela escolha do traçado curto, criado para a Stock Car e que conta com um trecho bastante travado, cercado por muros. Além disso, pela primeira vez uma piloto acelerou na competição: Gabriela Prado, com experiência na Nascar Euro Series. Ela andou em dupla com Gustavo Mascarenhas na categoria 1.6A, a bordo do Fiat Mobi da equipe Curvel. Na 1.4A, o líder do campeonato Felipe Rabelo venceu duas das quatro corridas com o Celta 38 da Cimini Racing. As demais foram dominadas por Flávio Costa (Celta 83) e Wanderson Freitas (Celta 77). Alternância também na 1.4B, com duas vitórias de João Neto (Celta 2); uma de Thiago Mourthé (Celta 90) e outra de Welbertt França (Celta 8). A 1.6B teve todas as corridas vencidas por João Maldini (Fiat Palio 47), à frente de Cássio Perácio (Fiat Palio 23), que se envolveu num forte acidente provocado por problema mecânico, felizmente sem ferimentos.

Piloto de Patos de Minas encara

maratona off-road em Portugal

Depois de vencer uma prova do Português de Todo-Terreno (rally cross-country), Cristiano Batista está de volta ao país europeu para encarar uma das mais tradicionais provas fora de estrada do Velho Continente. Ao lado do navegador paulista Fábio Zeller, ele encara a edição 2019 da Baja 500 Portalegre, válida pelo Mundial. Com um Can-Am Maverick X3 XRS da equipe Transmáquinas/The Racing Factory/Speedfreak, a dupla terá nada menos que 117 adversários entre os UTVs, num percurso que atravessa as regiões de Nisa, Crato, Ponte de Sor e Chamusca. A programação tem início no sábado, com o prólogo que define as posições de largada, seguido pelo primeiro estágio cronometrado. No domingo, as duplas (assim como os concorrentes nos carros, motos e quadriciclos) encaram novamente um percurso marcado por pedras, travessias de rios, totalizando 508 quilômetros cronometrados.