A Justiça de Minas decretou a proibição das torcidas organizadas do Cruzeiro Máfia Azul e Pavilhão Independente de frequentarem os estádios do Brasil por um ano. A decisão foi a favor de uma recomendação do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). A punição foi comunicada ao Cruzeiro nesta terça-feira (21) e já tem efeito imediato.

Com a sanção, as organizadas estão proibidas de utilizarem vestimentas, faixas, bandeiras e instrumentos musicais dentro do estádio e/ou em um raio de 5 km dos locais de jogos.

Além do banimento da Máfia Azul e da Pavilhão, a PM solicitou às demais torcidas organizadas um cadastro com o registro de todos os membros.

Como a solicitação ainda não foi atendida, o órgão proibiu a entrada de mastros, bandeiras, faixas e instrumentos de todas as torcidas no Mineirão no duelo entre Cruzeiro e Boa Esporte, marcado para esta quarta-feira, às 21h30, no Mineirão, pela primeira rodada do Campeonato Mineiro.

Histórico

No ano passado, em meio ao péssimo momento do Cruzeiro em campo, que acabou culminando com o rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro, enfrentamentos entre as duas organizadas foram frequentes.

Tumultos dentro e fora dos estádios fizeram com que as autoridades se mobilizassem para tentar sanar os problemas.

No dia 17 de dezembro, inclusive, a operação “Voz da Arquibancada” cumpriu mandados de busca e prisão de integrantes de organizadas do clube estrelado.

Outro lado

Após serem comunicadas da punição, as duas torcidas organizadas se manifestaram via redes sociais.

Em nota divulgada em sua página oficial do Facebook, a Máfia Azul afirma que: “O departamento jurídico da torcida está trabalhando para que em breve possamos retornar aos estádios com todos os nossos materiais”.

Já a Pavilhão, também em sua principal conta na rede, se pronunciou da seguinte forma: “Estaremos nos próximos dias tentando um acordo para que possamos voltar a usar nossos materiais no estádio, fazendo a nossa festa de sempre nas arquibancadas”.

torcida do cruzeiro