Em quatro anos, quando o técnico Dunga, caso o planejamento seja mantido, convocar os 23 jogadores que defenderão a Seleção na Copa da Rússia (2018), poucos se lembrarão da primeira lista. Os nomes que serão divulgados nesta terça-feira (19), às 11h30, no Rio de Janeiro, servirão somente para uma eventual comparação.

Porém, nas atuais circunstâncias, a relação que marcará a reestreia de Dunga vem cercada de muita expectativa. O Brasil encara amistosos contra Colômbia e Equador em 5 e 9 de setembro, respectivamente, nos Estados Unidos.

Desmoralizada após o último Mundial, a equipe canarinho precisa se reerguer e recuperar o prestígio. A necessidade de refor-mulação é evidente. Mas o capitão do tetra promete uma “transformação gradual, ao longo do tempo”, e pode manter a base do time que levou de 7 a 1 da Alemanha, na semi da Copa de 2014.

Só que algumas apostas serão feitas. E quatro atletas aparecem como favoritos a vestir a amarelinha e iniciar a cobrada renovação. Um deles é o destaque do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro.

Ricardo Goulart, de 23 anos, lidera a artilharia da Série A, com nove gols. O meia esbanja habilidade e explosão física. “Vivo a melhor fase da minha carreira”, admite, esperançoso com a possível chance na Seleção.

Para muitos, Phillipe Coutinho, de 22, deveria ter participado do último Mundial. Luiz Felipe Scolari o desprezou, mesmo com as excelentes apresentações pelo Liverpool, da Inglaterra. A presença do armador é dada praticamente como certa, assim como a do atacante Lucas, também de 22 anos, do Paris Saint-Germain, da França.

O goleiro Rafael, de 24, é outro que teve motivos para não dormir noite passada. O jogador conquistou a torcida do Napoli, da Itália. O ex-camisa 1 do Santos seria o titular nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, mas acabou machucando o cotovelo direito. Ele conta com o apoio de Taffarel, novo preparador de goleiros dos pentacampeões.

Outros cotados são o meia Paulo Henrique Ganso, o zagueiro Miranda, o lateral Filipi Luis e o atacante Alan Kardec.

 

Erros

Ao assumir a Seleção em 2006, Dunga apostou em nomes como Daniel Carvalho, Dudu Cearense (CSKA, Rússia), Morais (Vasco), Wagner (Cruzeiro) e Jônatas (Flamengo). Ninguém vingou, ou seja, disputou o Mundial da África do Sul, em 2010.

 

Dedé entra no páreo por vaga na zaga

O técnico Dunga não poderá contar com o zagueiro Thiago Silva, do Paris Saint-Germain, da França, nos amistosos contra Equador e Colômbia. O jogador trata de lesão na coxa direita. Assim, Dedé, do Cruzeiro, pode ganhar uma chance.

Já o atleticano Marcos Rocha estaria cotado para a lateral direita. No entanto, dor na coxa esquerda pode lhe tirar da lista.