Suspenso por mais dois jogos oficiais, Neymar não estará à disposição da seleção brasileira para as primeiras rodadas das Eliminatórias da Copa do Mundo, em outubro. Por isso, o técnico Dunga deverá aproveitar os amistosos contra a Costa Rica (neste sábado) e Estados Unidos (na terça) para observar o time sem o craque. Isso não significa, entretanto, que o jogador do Barcelona ficará fora das partidas.

"(Neymar) será utilizado nos jogos contra Costa Rica e EUA. Foi convocado também porque como o Campeonato Espanhol está parado. Ele ficaria treinando no clube com um grupo reduzido. Aqui na seleção, ele está participando, integrado ao elenco, com o elenco, e treinando na mesma intensidade dos demais", explicou Dunga.

Sem Neymar, a seleção brasileira levou de 7 a 1 da Alemanha na semifinal da Copa do Mundo de 2014 e foi eliminada pelo Paraguai nas quartas de final da Copa América deste ano. Mas Dunga rejeita a tese de que o Brasil vive uma 'Neymardependência'.

"Não vejo dessa forma. Ao contrário, o Neymar só soma, é um muito bom tê-lo ao seu lado. Apesar da qualidade do Neymar, que é indiscutível, o time tem de estar preparado para competir e ganhar sem ele também, como já fez. Ninguém ganha nada sozinho", apontou o técnico da seleção.

Diante da Costa Rica, neste sábado à tarde, em Nova Jersey, Neymar começa no banco de reservas. Estará sentado ao lado de Kaká, que volta à seleção e ganhou elogios do chefe. "Ele parece um garoto de 21 anos. Está se empenhando e correndo nos treinamentos tanto quantos os mais jovens. Além de ser um exemplo de comportamento, é um jogador experiente e de muita técnica."

Apesar dos elogios ao veterano, o armador titular do Brasil diante da Costa Rica será Lucas Lima, que vem se destacando com a camisa do Santos no Brasileirão. "Ele terá toda liberdade de movimentação, logicamente dentro das diferenças de sistema tático que existem na seleção", adiantou Dunga.