O último treino que a Seleção Brasileira fará hoje, em Fortaleza, será decisivo para o técnico Dunga definir as mudanças na equipe para o duelo de amanhã contra a Venezuela, pela segunda rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.
 
Insatisfeito com a apresentação do time na derrota por 2 a 0 para o Chile, o treinador já acenou que deve fazer alterações, mas mantém as posições em sigilo. No trabalho de ontem na capital cearense, Dunga só permitiu a entrada da imprensa no fim da movimentação, não dando pistas dos 11 que começam jogando.
 
Mal em Santiago, o meia Oscar é mais cotado a perder a posição. Lucas Lima deve ser a opção de Dunga diante dos venezuelanos. O lateral-esquerdo Marcelo também pode ser substituído por Filipe Luís.
 
Apesar de não ter ido bem no duelo com os chilenos, Hulk, que tem agora a sombra de Ricardo Oliveira, parece ainda contar com a confiança de Dunga. Nascido em Campina Grande, na Paraíba, o atacante Hulk contará com uma torcida especial para tentar ajudar o Brasil a garantir a primeira vitória nas eliminatórias da Copa do Mundo 2018. A mãe do jogador alugou um ônibus para levar os familiares ao Castelão.
 
“Vou ter uma torcida especial e estendo a todos do time. A cobrança é sempre grande, principalmente com quem joga lá na frente. É nossa obrigação vencer, até porque temos jogadores de qualidade que fazem a bola chegar. Sabemos o tamanho da cobrança e vamos procurar responder da melhor forma possível”, resumiu Hulk.
 
Taffarel homenageado
 
Antes do treino, o ex-goleiro Taffarel, da comissão técnica de Dunga, foi homenageado no Castelão e gravou suas mãos na Calçada da Fama. Antes dele, Cafu, Gilmar e o próprio Dunga tinham sido homenageados no estádio.