O Santos faz parte da história do Atlético por ter sido o adversário num momento muito importante da trajetória de Reinaldo, pois foi o adversário do Galo na partida que marcou o fim do maior período do ídolo sem vestir a camisa 9 atleticana por causa de contusões. Isso aconteceu em 25 de abril de 1979, no Mineirão, num amistoso entre os chamados Meninos da Vila (Belmiro) e maior geração revelada em outra Vila, a Olímpica, local de treinamentos do time mineiro na época.

Reinaldo tinha defendido o Atlético pela última vez em 26 de fevereiro de 1978, também no Gigante da Pampulha, na vitória por 4 a 2 sobre o Londrina, na partida de ida pelas semifinais do Campeonato Brasileiro de 1977, que invadiu a temporada seguinte. O Rei teve uma das grandes atuações da sua vida, fez um hat-trick e encaminhou a classificação alvinegra para a decisão do título.

Reinaldo Mineirão

Reinaldo supera Vitor na sua volta ao Atlético depois de um ano e dois meses sem defender o clube por causa de ida à Seleção, para a Copa da Argentina, e depois uma operação no joelho, nos Estados Unidos

Dois dias após este show no Mineirão, o camisa 9 atleticano foi julgado pelo Tribunal Especial da Confederação Brasileira de Desportos (CBD), por uma expulsão contra o Fast-AM, em Manus, em 1º de fevereiro de 1978.

A punição por quatro jogos tirou Reinaldo da volta contra o Londrina, em 1º de março, quando o empate por 2 a 2, no Estádio do Café colocou o Atlético na decisão, e no jogo único pela taça, em 5 de março, no Mineirão, quando o São Paulo ganhou o título nos pênaltis, por 3 a 2, após empate por 0 a 0 no tempo normal e prorrogação.

Além das afirmações de Reinaldo, são vários os indícios de que o Governo Militar teve interferência no julgamento do atacante, pois ele era crítico à Ditadura que estava vigente no Brasil desde o Golpe de 1964.

Seleção

Após a decisão do Brasileirão de 1977, começou a preparação da Seleção para a disputa da Copa do Mundo da Argentina. A primeira convocação do técnico Cláudio Coutinho foi em 24 de fevereiro. A segunda, e definitiva, em 25 de abril. E Reinaldo estava em ambas, pois era o camisa 9 do treinador.

O Rei participou de quatro amistosos de preparação para o Mundial e de três dos sete jogos disputados pelo Brasil no torneio, em gramados argentinos.

Depois, ele foi para os Estados Unidos, onde passou por uma cirurgia no joelho. O período de recuperação foi longo e ele só voltou aos gramados em 25 de abril de 1979, no amistoso contra o Santos, que naquele ano seria campeão paulista com a primeira geração dos chamados Meninos da Vila, que contava com nomes como Pita, Juary e João Paulo, sem contar o experiente Clodoaldo, campeão do mundo em 1970 com a Seleção, no México.

ARTEA ficha da volta de Reinaldo ao Atlético no site oficial do Mineirão - CLIQUE PARA AMPLIAR

Em 1979 o Atlético conquistaria seu primeiro bicampeonato mineiro no Mineirão, título que faz parte da maior sequência da Era do Profissionalismo no Estado, iniciada em 1933, pois só foi encerrada em 1983, com o hexa.

No gol santista estava Vitor, goleiro que teve como maior marca na carreira defender o Cruzeiro. E na sua volta, Reinaldo fez o que mais sabia: gol. O Atlético foi derrotado por 2 a 1, pois Márcio (contra) e Nilton Batata marcaram para o Peixe, mas naquele dia, os 41.612 pagantes no Gigante da Pampulha voltaram para casa felizes.

O Rei estava de volta, com a genialidade e oportunismo de sempre.