O atacante Everton foi um dos poucos jogadores da seleção brasileira a deixar a Fonte Nova, em Salvador, sem ser alvo de críticas da torcida na última terça-feira. Em uma noite de empate sem gols em Salvador com a Venezuela, pela Copa América, e vaias ao time, o jogador do Grêmio teve o nome pedido pelo público no segundo tempo e foi embora do estádio com a esperança de virar titular do técnico Tite nas próximas partidas.

Everton ganhou chance de entrar na vaga de David Neres após a torcida gritar em coro por "Cebolinha" ao longo da etapa final. O atacante disse após a partida ter se sentido honrado com o pedido. "A gente fica feliz pelo reconhecimento do trabalho que estamos fazendo, dá um gás e motivação a mais. Pude entrar, dar meu melhor, tivemos um gol anulado no fim, mas é continuar preparado", disse.

O jogador marcou um gol na abertura da Copa América, contra a Bolívia, e tem sido utilizado por Tite com frequência. Apesar de aceitar o posto de reserva, Everton sonha em ganhar mais chances. O próximo compromisso da seleção brasileira será no sábado, contra o Peru, na Arena Corinthians. "Tem que ter calma, vamos ver o que professor vai passar, respeitando nossos companheiros. Quem o professor escolher dará o melhor", comentou.

Everton avaliou que o problema do Brasil contra a Venezuela foi a falta de capricho nas finalizações, assim como a falta de entrosamento no setor ofensivo. "Talvez falte um pouco nas finalizações, no acabamento das jogadas. É entrosamento. O nosso ataque totalmente diferente, a maioria não jogou junto, é algo que vamos acertar", disse.

A seleção brasileira volta aos treinos na tarde desta quarta-feira, ainda em Salvador. O trabalho será no estádio do Barradão. Depois, às 20h, o elenco viaja para São Paulo, onde ficará nos próximos dias em preparação para enfrentar o Peru.