Dois jogadores preocupam o Palmeiras na decisão com o Colo-Colo por vaga na semifinal da Copa Libertadores, nesta quinta-feira, em Santiago. Valdivia e Barrios estão ansiosos para encarar seu ex-time do Brasil. Logo eles que conquistaram títulos pelo Palmeiras, foram colegas na Academia e deixaram o clube em baixa. Os dois vivem momento de alta e admitem expectativa especial para o jogo de ida das quartas do torneio sul-americano - a volta será no Allianz Parque.

Querido por muitos palmeirenses, Valdivia teve duas passagens pelo clube, sempre envolto em polêmicas e lesões. A torcida reclamava de suas poucas aparições em campo. Mas ele também conquistou títulos importantes como o Estadual de 2008 e a Copa do Brasil de 2012. O adeus foi dado em agosto de 2015, após a diretoria optar por não renovar o contrato dele.

"Estou ansioso. Todos sabem dos anos que estive no Palmeiras, o carinho que tenho pelo clube e o dos torcedores por mim. Uma vez que começa o jogo, porém, cada um fica no seu lado", disse o chileno, hoje um dos principais atletas do time.

No Colo-Colo, clube em que começou a carreira, Valdivia tem mostrado postura diferente. Ele tem se mantido longe das polêmicas, livre das lesões e se dedica aos trabalhos físicos. Quando o elenco treina pela manhã, ele ainda faz trabalho extra à tarde.

Aos 35 anos, Valdivia está mais discreto. E demonstra vontade de fazer história. "O jogo com o Palmeiras será o mais importante dos últimos 21 anos", disse, em referência à última presença do Colo-Colo numa semifinal de Libertadores, em 1997.

O outro "ex" é Barrios, que chegou ao Palmeiras em 2015 e rescindiu contrato em fevereiro do ano passado, de comum acordo, semanas depois da diretoria ter contratado o colombiano Miguel Borja. O paraguaio se transferiu para o Grêmio e passou no começo deste ano pelo Argentino Juniors.

O retorno ao Colo-Colo se deu em junho, após nove anos. O ápice da atual passagem foi ter feito contra o Corinthians o gol decisivo para a classificação às quartas de final. O atacante disse que pretende fazer gol no ex-time. "Estive no Palmeiras por quase dois anos, conheço os jogadores que foram meus companheiros. Tenho carinho por eles, mas espero cumprir a 'lei do ex' e marcar um gol na quinta", comentou.