O Cruzeiro reiniciou os esforços para a Caixa Econômica Federal estampar a marca na camisa do clube em 2016. O presidente Gilvan de Pinho Tavares e o diretor de marketing da Raposa, Robson Pires, reuniram-se ontem em Brasília com o ministro do Esporte, George Hilton, para uma visita de cortesia.

Na conversa, Gilvan ouviu do ministro a promessa de “ajuda” na negociação com o banco e outras empresas estatais.

“Nós fomos a Brasília para uma visita de cortesia. Vários assuntos foram abordados na conversa, inclusive sobre o patrocínio da Caixa Econômica Federal e outras empresas que pertencem ao governo Federal”, confirmou ao Hoje em Dia, por telefone, o diretor Robson Pires.

O diretor reiterou que não existe ainda negociação com o banco estatal, mas não descartou uma parceria no futuro.

O “namoro” do Cruzeiro com a Caixa é antigo. Desde o ano passado, o clube celeste vem negociando para contar com o patrocínio master do banco.

As conversas foram iniciadas após o Banco BMG confirmar que não renovaria o vínculo com o clube, ainda no final do ano passado, e a negociação ficou bem perto de ser concretizada.

Contudo, as eleições presidenciais e a crise econômica atrapalharam os planos cruzeirenses de contar com a marca do banco em sua camisa em 2015.

Nos bastidores do clube estrelado, há um cenário de otimismo para fechar uma nova parceria. “O ministro como grande cruzeirense que é, se prontificou a ajudar o Cruzeiro no patrocínio. Mas esse não foi o principal assunto abordado. Conversamos sobre várias coisas”, desconversou Robson.


Acordo

Sem a Caixa, o Cruzeiro acertou no fim de agosto um acordo para estampar a marca dos Supermercados BH na camisa. O contrato, que seria válido até dezembro, foi estendido até junho de 2016.

O acordo foi feito por R$ 13,5 milhões, sendo uma parte do valor descontada para abatimento de dívidas do clube com o grupo supermercadista.

No início do ano, a intenção do Cruzeiro era fechar um patrocínio de pelo menos R$20 milhões por 12 meses, o que não ocorreu.

Caso consiga o acerto com a Caixa, o Cruzeiro terá que fazer um acordo com o atual. “Nosso patrocinador oficial é o Supermercados BH. Qualquer outra coisa que aconteça a gente vai ter que conversar”, finalizou Robson.