Após as reuniões realizadas nessa segunda-feira (16), na Sede do Barro Preto, que apontam para uma renúncia do presidente Wagner Pires de Sá, o presidente do Conselho Deliberativo do Cruzeiro, José Dalai Rocha, emitiu uma carta aberta, destinada à torcida celeste. Nela, destaca que está otimista quanto ao futuro da agremiação, que tende a ser comandada por três grandes empresários, e pede ao segundo vice, Ronaldo Granata, que também deixe o cargo.

"Por parte (do) presidente Wagner Pires e do vice-presidente Hermínio Lemos encontramos desprendimento, desapego ao cargo, ante os interesses maiores do Cruzeiro. Esperamos encontrar essa mesma disposição no vice Ronaldo Granata. Com os empresários, a vontade de unir forças para recuperarmos a grandeza do nosso clube”, disse em parte da carta.

Os três empresários seriam Pedro Lourenço e Emílio Brandi, donos das redes supermercadistas Supermercados BH e Nova Safra, além do banqueiro Aquiles Diniz, um dos fundadores do Banco Intermedium, hoje Banco Inter.

Ele também pede o fim de "guerrilhas internas". "A hora é de lutar pela solução que será a melhor também a longo prazo. O imediatismo, visando apenas se eximir de maiores responsabilidades, é contrário ao objetivo que temos em comum: reerguer nosso Gigante. Vamos suspender por horas as pedradas físicas e morais. As ameaças de morte. O terrorismo que só leva ao desespero", afirmou em outro trecho da carta.

Cruzeiro

Confira abaixo a carta assinada por Dalai Rocha

"AOS CRUZEIRENSES

Hoje somos 9 milhões corações feridos. O Gigante tropeçou. Nem por isso deixa de ser Gigante. Continuamos o Maior de Minas, tetracampeões brasileiros. Hexacampeões da Copa do Brasil.

Mesmo com as extremas dificuldades do presente, não podemos esquecer este passado de glórias. Será ele o gerador de forças para iluminar o nosso futuro, quando ressurgiremos ainda maiores do que fomos.

As reuniões realizadas ontem, com a presidência do Cruzeiro e com o grupo de empresários autorizam o nosso otimismo. Por parte (do) presidente Wagner Pires e do vice-presidente Hermínio Lemos encontramos desprendimento, desapego ao cargo ante os interesses maiores do Cruzeiro. Esperamos encontrar essa mesma disposição no vice Ronaldo Granata. Com os empresários, a vontade de unir forças para recuperarmos a grandeza do nosso clube.

A hora é de ajustes necessários para essa transposição. Precisamos de uma trégua de 36 horas. Estamos na fase em que a pressa é inimiga da perfeição e dos interesses do Cruzeiro. A hora é de lutar pela solução que será a melhor também a longo prazo. O imediatismo, visando apenas se eximir de maiores responsabilidades, é contrário ao objetivo que temos em comum: reerguer nosso Gigante. Vamos suspender por horas as pedradas físicas e morais. As ameaças de morte. O terrorismo que só leva ao desespero.

Em especial, a guerrilha interna do 'nós contra eles', nas redes sociais, disseminando ódio e ofensas recíprocas, como se a culpa estivesse apenas de um lado.

O Cruzeiro é maior"

JOSÉ DALAI ROCHA
Presidente do Conselho Deliberativo