Uma das reclamações mais comuns em relação à temporada cruzeirense em 2018 é a pouca efetividade de seu ataque. Com apenas 19 gols em 24 jogos no Brasileiro, o time celeste está à frente apenas de Ceará e Paraná no ranking de melhores ataques da competição- e entra em campo no domingo (16) contra a equipe que está no pódio desta lista, o Atlético, que marcou 41 gols. 

Alguns pontos podem ser apontados como justificativas para este baixo rendimento ofensivo, para além das muitas chances perdidas pelo ataque celeste. O primeiro, é uma reclamação oficial da própria diretoria celeste, formalizada junto à CBF:  a grande quantidade de gols marcados e anulados pela arbitragem. Entram nessa lista tentos anotados mas não validados nos confrontos contra Internacional, Vitória e Atlético-PR, além do gol marcado por Barcos, no último jogo do time pelo torneio, o empate contra o Sport em Recife. 

Outro ponto importante é a ausência, durante grande parte da temporada, de seus centroavantes de ofício: Fred e Sassá, ambos devido à contusões. O veterano artilheiro, fora do time desde o dia 25 de março deste ano, no jogo de volta das semifinais do Campeonato Mineiro, já foi liberado pelo departamento médico e está participando de treinos na Toca da Raposa, em busca de condicionamento físico. Deve voltar a campo no final deste mês.A . Naquela ocasião, Fred lesionou o ligamento cruzado anterior e uma parte periférica do joelho direito. 

A boa notícia para a torcida cruzeirense é que Sassá, que foi operado em julho para reparação de problemas na cartilagem do joelho esquerdo, deverá ser uma das opções no banco de reservas para o clássico mineiro. Sassá jogou pela última vez no dia 13 de junho, no empate por 1 a 1 com o Paraná, na Vila Capanema, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Por conta de sua lesão, a diretoria do Cruzeiro contratou o argentino Hernán Barcos, que deverá ser poupado do jogo de amanhã. Mas apesar do baixo rendimento de Sassá  no Brasileirão (apenas um gol, marcado contra o Ceará em Fortaleza) o atacante possuí bons números na Copa Libertadores: é o vice-artilheiro do time na competição, com quatro gols.  O atacante, que tem 12 gols com a camisa celeste desde que chegou à BH, no ano passado, ainda não marcou contra o maior rival, em duas partidas disputadas e pode ser a esperança da torcida de melhorar a média de gols do Cruzeiro no torneio nacional, a partir de amanhã.