A crise financeira faz da partida da próxima quarta-feira (26), contra o CRB, às 16h, no Estádio Rei Pelé, em Maceió, pela terceira fase da Copa do Brasil, uma decisão para o Cruzeiro. Isso porque estarão em jogo R$ 2 milhões, cota paga a cada participante da quarta fase da competição nacional. O problema é a grande desvantagem que tem o time do técnico Enderson Moreira na disputa, e o futebol ruim que vem apresentando nas últimas partidas.

Cruzeiro CRB Copa do Brasil 2020

Antes da pandemia, Cruzeiro foi derrotado por 2 a 0 pelo CRB, no Mineirão, no jogo de ida pela terceira fase da Copa do Brasil

Antes ainda da parada do futebol por causa da pandemia pelo novo coronavírus, Cruzeiro e CRB jogaram no Mineirão. A Raposa ainda era comandada por Adilson Batista e foi derrotada por 2 a 0, em 11 de março.

A delegação cruzeirense nem retorna a Belo Horizonte e nesta segunda-feira (24) percorrer os cerca de 270 quilômetros entre Aracaju e Maceió de ônibus.

Não bastasse a fase ruim da sua equipe, Enderson Moreira não poderá contar com Patrick Brey, Henrique, Régis, Claudinho e Arthur Caíke, pois eles já participaram da Copa do Brasil por outros clubes.

Na partida desta quarta-feira, o Cruzeiro precisa ganhar pelo menos por dois gols de diferença para levar a decisão da vaga na quarta fase para os pênaltis. Se vencer por três ou mais gols de vantagem, a Raposa se classifica diretamente.

O CRB, que também disputa a Série B, onde ocupa a quinta posição, com quatro pontos, e tem o artilheiro, Léo Gamalho, com seis gols, pode perder por até um gol de diferença que mesmo assim se classificará. E embolsará os R$ 2 milhões que seriam fundamentais para o endividado Cruzeiro.