atletico, galo, patric

No dia em que os "pracinhas" que lutaram durante a Segunda Guerra Mundial foram homenageados no gramado do Mineirão, o "General Atleticano" quase salvou o Galo de um vexame contra a Caldense, pela sexta rodada do Campeonato Mineiro. Mas o gol de empate do zagueiro Igor Rabello acabou sendo insuficiente, já que a Veterana - que abriu o marcador com Filipe Sousa - venceu com um gol de João Victor no último giro do relógio, para o desespero dos alvinegros: 2 a 1.

E no mesmo dia em que o ídolo Diego Tardelli foi apresentado à torcida para sua terceira passagem pelo clube, a decepção se tornou a tônica no Atlético, que perde a liderança do Estadual com um tropeço em sua primeira partida no ano no Gigante da Pampulha.

Agora o time de Dudamel tem uma parada dura pela frente. Enfrenta nesta quinta-feira (20) o Unión, de Santa Fé, da Argentina, no jogo de volta da primeira fase da Copa Sul-Americana. Como perdeu por 3 a 0 o jogo de ida, tem que fazer pelo menos o mesmo placar, dessa vez a favor, para levar a decisão para os pênaltis. 

O jogo

Animados pelo retorno do atacante Diego Tardelli, os atleticanos que foram ao Mineirão viram um jogo bem acelerado no primeiro tempo, com o time da casa levando susto, mas também pressionando o adversário e perdendo oportunidades claríssimas de gol.

Já os torcedores da Caldense tiveram fortes emoções principalmente pelos milagres operados pelo goleiro Alyson, que também contou com a sorte em alguns lances e impediu que o Galo balançasse as redes na etapa principal no Gigante da Pampulha.

Em um dos camarotes do estádio estava o novo reforço alvinegro. Tardelli, que foi apresentado antes da partida e chega para tentar ser o "homem gol" do Galo, viu seus novos companheiros desperdiçarem chances incríveis. Primeiro foi Nathan, que debaixo da trave, chutou por cima do travessão. Depois, Patric, que aproveitou um lance de rebote, mas disparou um chutaço para fora.

No futebol, que é uma fábrica de clichês, "quem não faz, leva". E foi justamente isso que aconteceu. A Caldense, que se comportava bem defensivamente e segurava o ímpeto atleticano, saiu na frente em um lance de pênalti.

O experiente Filipe Sousa, em chute forte e de meia altura, não deu chance para o "são Victor", também conhecido por ser bom defensor de penalidades, mas que dessa vez foi buscar a bola no fundo do "barbante". 

Victor, inclusive, retornava não só à titularidade na tarde deste domingo, como também fazia seu primeiro jogo oficial em 2020. No ano passado o goleiro ficou inativo por aproximadamente cinco meses tratando de uma tendinite no joelho esquerdo. 

Apesar da derrota parcial no intervalo, o volume de jogo do Galo pelo menos não foi assustador quanto havia sido na partida do meio de semana contra o Campinense, na primeira fase da Copa do Brasil.

A equipe criou, teve totais condições de marcar até mais de um gol, mas faltou qualidade na finalização.

No segundo tempo o zagueiro Igor Rabello até deu uma esperança maior aos atleticanos ao marcar o gol de empate aos 13 minutos. E o Atlético teve totais condições de terminar a partida como vencedor, mas parou nas defesas do goleiro Alyson e também na incompetência de seus jogadores ofensivos para conseguir marcar mais gols.

A Caldense até pediu para sofrer esse gol, colocando-se como mera coadjuvante ao recuar praticamente todo o time durante o segundo tempo. Só que o futebol é cheio de surpresas e em um vacilo da defesa alvinegra, a Veterana surpreendeu com o "golpe de misericórdia" do jovem João Victor, que em um contra-ataque muito rápido fez o 2 a 1 para a equipe de Poços de Caldas.

A derrota fez o torcedor alvinegro vaiar o time na saída do campo, atitude reprovada por alguns jogadores, como o zagueiro Igor Rabello e o atacante Ricardo Oliveira. 

ATLÉTICO 1 X 2 CALDENSE

Motivo: 6ª rodada do Campeonato Mineiro
Local: Mineirão
Arbitragem: Ronei Cândido Alves, auxiliado por Ricardo Junio de Souza e Frederico Soares Vilarinho
Cartões: Patric, Hyoran (Atlético); Rafael Rosa, Franklin, João Victor, Nathan, Morais (Caldense)
Gols: Filipe Sousa (Caldense) aos 19 minutos do primeiro tempo; Igor Rabello (Atlético) aos 13 minutos e João Victor (Caldense) aos 44 minutos do segundo tempo
Público: 14.757
Renda: R$ 129.939,00

ATLÉTICO
Victor; Patric, Igor Rabello, Gabriel e Guilherme Arana; Zé Welison, Jair e Nathan (Di Santo); Hyoran (Savarino), Marquinhos e Ricardo Oliveira (Otero)
Técnico: Rafael Dudamel

CALDENSE
Alyson; Filipe Sousa, Guilherme Martins, Lucas Mufalo (Morais) e Rafael Rosa; Franklin (André Mensalão), Daniel e Nathan; Arthur (Marco Damasceno), João Victor e Luis Henrique
Técnico: Marcus Grippi

Leia mais:

Pressão, defesa e explicação: o resumo da estreia de Rafael Dudamel no Mineirão