É só receber a bola na área que Fred transforma a tranquilidade dos goleiros em pesadelos. Quem te viu e quem te vê, Don Fredon, não imaginaria, porém, que sua melhor amiga, a bola, o ‘trairia’ nas três primeiras rodadas do Brasileirão, em que o matador passou em branco contra Flamengo, Ceará e Goiás. Sinal de sonhos ruins para o centroavante? Nada disso! Com serenidade e trabalho, o camisa 9 está pronto para dar um novo start em sua saga na Série A, visando bater mais e mais recordes vestindo a camisa azul e branca.
 
Com 35 anos, o atacante do Cruzeiro tenta se tornar o primeiro jogador a conquistar a artilharia em quatro edições do torneio – e, de quebra, por três agremiações diferentes. Goleador das edições 2012 e 2014 (ambas pelo Fluminense) e 2016 (quando trocou o Flu pelo Atlético), Fred está ávido também em superar Romário (154 gols) e Edmundo (153) no pódio dos peritos em balançar as redes na história do campeonato.
 
Atualmente, o celeste aparece em quarto lugar nessa escada (que tem Roberto Dinamite, com 190 tentos, no topo). Com 142 gols na competição, Fred é o líder do quesito quando são considerados gols na Era dos Pontos Corridos. (Confira abaixo e ao lado números dos grandes goleadores da história do Campeonato Brasileiro).
 
Para voltar a reinar na grande e na pequena áreas e dar fim ao ‘incômodo’ jejum neste início de Brasileiro, o centroavante conta com uma motivação extra. No domingo, no estádio Beira-Rio, ele completará 700 partidas na carreira, justamente contra sua primeira vítima trajando o manto estrelado. Foi exatamente contra o Internacional, em 5 de agosto de 2004, no Mineirão, que o atacante estreou, e fez gol, pelo Cruzeiro, na vitória por 2 a 0 em cima do Colorado – o outro gol foi de Wendel.
 
Retorno
A extenuante sequência de jogos na temporada do futebol brasileiro pode ser apontada como um dos motivos para Fred não ter desempenhado seu melhor futebol na largada da competição. Tanto é que o camisa 9 precisou ser poupado da partida da última quarta-feira, diante do Emelec, do Equador, no Mineirão. O substituto dele, Sassá, autor de um gol, bem que tentou, mas não conseguiu impedir o revés por 2 a 1. Com quatro tentos, Fred é o artilheiro da Raposa na Copa Libertadores.
 
Neste domingo, a torcida cruzeirense clama que a epítome da trajetória do matador – ou seja, os gols – volte à baila. E, obviamente, é o que o atacante também almeja. Até porque, o ‘rei dos stories’ está sedento em voltar a ser de novo o rei dos gols.