Não faltaram ingredientes para um grande clássico. Em um jogo muito tenso, que contou com expulsões dos dois lados, polêmicas de arbitragem e dois belos gols, o Atlético venceu o Cruzeiro por 2 a 0, no Independência, placar que garantiu o Cruzeiro nas semifinais da Copa do Brasil.

Em um confronto em que o Galo se lançou para cima do rival em busca de mais uma virada épica, prevaleceu a grande vantagem celeste. Cazares e Patric, em dois golaços, deram esperanças ao torcedor alvinegro, que aplaudiu o time após o apito final.

Bem postado em campo, a Raposa, em meio à maior crise institucional de sua história, se garante em mais uma semifinal de Copa do Brasil, a quarta consecutiva.

O adversário do time celeste sai do vencedor do confronto entre Internacional e Palmeiras, que duelam às 21h30, em Porto Alegre. No primeiro jogo, a equipe paulista venceu por 1 a 0, em São Paulo. 

Eliminado, o Atlético volta o foco para o Campeonato Brasileiro e para a Copa Sul-Americana. Já o time estrelado segue em três frentes. Além da Copa do Brasil, a Raposa está viva na Copa Libertadores e tenta sair do limbo no Brasileiro.

O jogo

Precisando inverter a grande vantagem do rival, o Atlético iniciou o duelo no Independência partindo para cima do rival.

Mesmo com as alterações de última hora – entradas de Fred e Orejuela nos lugares de Thiago Neves e Ariel Cabral, respectivamente  – o Cruzeiro se manteve bem postado em frente à defesa, freando as investidas do rival e tentando encaixar os contra-ataques.

Nos dez primeiros minutos, nenhuma chance de gol, nem finalização dos dois times. A primeira oportunidade clara da partida foi da Raposa. Aos 17 minutos, Marquinhos Gabriel fez bela jogada individual pela esquerda e serviu Robinho, que, de frente para o gol, finalizou à direita da meta defendida por Victor.

Aos 20 minutos, o time estrelado teve outra grande chance. Robinho cobrou falta da intermediária, Patric tentou cortar e cabeceou para trás, exigindo grande defesa do camisa 1 do Galo.

No lance seguinte, nova intervenção de Victor, que defendeu com segurança a finalização de fora da área de Robinho.

A primeira chegada do Alvinegro veio aos 25 minutos. Elias recebeu lançamento dentro da área, girou e bateu cruzado, para excelente defesa de Fábio.

O Atlético chegou ao gol aos 34 minutos. Chará lançou Patric pela direita, que levantou na área e encontrou Fábio Santos. O lateral-esquerdo escorou de cabeça para Cazares acertar um lindo chute para abrir o placar.

A equipe do técnico Rodrigo Santana quase ampliou três minutos depois. Otero cruzou pela esquerda, Alerrandro se antecipou a Egídio, deu um toquinho na bola, fazendo Fábio brilhar novamente.

Aos 43 minutos, após cruzamento de Patric pela direita, Dedé se esticou todo para fazer o corte antes que a bola chegasse em Alerrandro, que receberia de frente para o gol.

A última chance do primeiro tempo veio dos pés de Otero, em cobrança de falta, de longe. Fábio encaixou com firmeza.

Segundo tempo

A tônica do primeiro tempo se manteve no início da segunda etapa. Em busca do resultado que o garantiria na próxima fase, o Atlético se lançou para cima do Cruzeiro.

O primeiro lance de perigo do Galo veio aos 5 minutos. Após rápida troca de passes na intermediária, Otero recebeu e bateu firme, com perigo ao gol da Raposa.

Aos 14 minutos, Luan, que havia acabado de entrar, fez jogada individual pela direita, cruzou na área, Fábio Santos ajeitou, e a defesa do Cruzeiro afastou o perigo antes que Alerrandro chegasse.

O contra-ataque que o time estrelado aconteceu aos 18 minutos, e foi mortal. Após cobrança de escanteio, a bola caiu nos pés de Marquinhos Gabriel, que avançou, tocou para Jadson, que serviu Orejuela e passou para Pedro Rocha, que bateu firme, contando com a colaboração de Victor para empatar.

Entretanto, o VAR entrou em ação e sinalizou falta em Fábio Santos na origem da jogada. O árbitro Flávio Rodrigues de Souza anulou o gol. Em meio ao tumulto, Alerrandro e David trocaram tapas e foram expulsos.

O Galo quase fez o segundo gol aos 25 minutos. Geuvânio recebeu pela direita, cortou para dentro e finalizou com força, acertando o travessão de Fábio.

Aos 47 minutos, uma nova esperança se deu com o golaço de Patric, no ângulo direito de Fábio. Mas não havia mais tempo para o Galo. O Cruzeiro ficou com a vaga.

FICHA DO JOGO

Atlético

Victor; Patric, Réver, Igor Rabelo e Fábio Santos; Jair (Ricardo Oliveira), Elias (Luan), Otero (Geuvânio) e Chará; Cazares e Alerrandro

Técnico: Rodrigo Santana

Cruzeiro

Fábio;  Orejuela, Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Lucas Romero, Robinho (Jadson) e Marquinhos Gabriel; Pedro Rocha (Dodô) e Fred (David)

Técnico: Mano Menezes

Gols: Cazares, aos 34 minutos do primeiro tempo e Patric, aos 47 minutos do segundo

Arbitragem: Flávio Rodrigues de Souza, auxiliado por Danilo Ricardo Simon Maris e Alex Ang Ribeiro (todos de São Paulo)

VAR: Thiago Duarte Peixoto (SP)

Cartão amarelo: Jair, Cazares, Ricardo Oliveira, Luan (CAM); Robinho, Pedro Rocha, Fábio (CRU)

Cartão vermelho: David e Alerrandro

Público: 22.145

Renda: R$ 1.352.396,00