sérgio santos rodrigues, cruzeiro, presidente

Um bate-papo do presidente do Cruzeiro com "sócios abonados" no início da tarde desta sexta-feira revelou que a diretoria celeste mapeou as dívidas do clube para não se surpreender no futuro. A conversa aconteceu durante live com a participação dos membros do "Sócio 5 Estrelas" da categoria Diamante, que perguntaram sobre as pendências financeiras da Raposa.

"Tem uma particularidade: a gente não tem com obter certeza de quando vão vencer algumas. Porque quando a gente não tem mais recurso, a Fifa notifica o clube em um dado momento e do de 30 a 90 dias para pagar. A gente sabe o que já tem vencido, mas não sabe quando será o vencimento", explicou o presidente Sérgio Santos Rodrigues. 
Rodrigues falou sobre as dívidas na Fifa, que já tiraram do Cruzeiro seis pontos na Série B de 2020 - assim que o futebol for retomado - pelo não pagamento na data imposta pela entidade que regula o futebol. 

Em maio o clube foi penalizado pela falta de quitação da pendência relativa ao volante Denílson, contratado em 2016 junto ao Al-Whada, dos Emirados Árabes, cuja negociação não havia sido paga pelos dirigentes da época e outros que assumiram o clube posteriormente. 

Dos processos que correm na Fifa dois já têm data para serem pagos. Tratam-se dos débitos com o Tigres-MEX, pela contratação de Rafael Sóbis, em 2016, e do Spartak Moscou, pela contratação de Pedro Rocha, em 2019. 

O pagamento aos mexicanos corresponde a uma parcela pela compra de Sóbis e que custará aos caixas do Cruzeiro cerca de R$ 12 milhões (US$ 2,3 milhões). O time celeste tem até o dia 15 de julho para pagar esse compromisso, do contrário receberá nova sanção da Fifa.

Já a dívida com os russos é menor, mas não menos importante, já que uma eventual falta de pagamento também tratá restrições administrativas ao Cruzeiro. 

O valor dessa dívida com o Spartak Moscou é de aproximadamente 395 mil euros, que na conversão de moeda mais recente aponta algo em torno de R$ 2,3 milhões. 
Contratações de velhos conhecidos

Alguns nomes de velhos conhecidos da torcida do Cruzeiro volta e meia aparecem como possíveis contratações do clube. Já se falou em Nilton, Lucas Romero, Kléber "Gladiador" e mais recentemente Wagner, meia que vestiu a camisa azul em meados dos anos 2000 e já está com 35 anos.

Sérgio Santos Rodrigues também foi questionado pelos sócio "Diamante" especificamente sobre Wagner e Kléber, nomes que são ventilados em grupos de Whatsapp, nas redes sociais. 
No caso do Wagner, o próprio jogador se ofereceu para voltar ao Cruzeiro ganhando salário de R$ 1 mil. 

"Esses jogadores todos tem identificação com o Cruzeiro, claro que a torcida quer de volta. Mas eu sempre deixo claro que aqui no Cruzeiro as coisas são técnicas. Então todos os nomes que chegam são submetidos à analise de desempenho, à diretoria técnica, ao (técnico) Enderson Moreira, ao (diretor de futebol) Drubscky. Eles fazem a análise e tomam a decisão correta. Eu falo que minha decisão é só a final, financeira, se adequa ou não", comentou.

As respostas de Sérgio Rodrigues aos sócios mais abonados, já que o valor mensal da categoria Diamante é R$ 1 mil, foram reveladas pela Rádio Itatiaia.