Documento publicado pela Rádio Itatiaia em seu site mostra que em 25 de março, portanto há quase dois meses, o Cruzeiro tentou, mas sem sucesso, que o Al Whada aceitasse a prorrogação do prazo para o recebimento da dívida referente ao empréstimo do volante Denílson.

Denilson Cruzeiro

Após passagem apagada pela Toca da Raposa II, em 2016, Denílson não teve seu empréstimo pago ao Al-Whada e Cruzeiro perde seis pontos na Série B do Campeonato Brasileiro

O clube dos Emirados Árabes deveria ter recebido na última segunda-feira (18), cerca de R$ 5 milhões pelo empréstimo do atleta em 2016. Mas isso não aconteceu.

O advogado Breno Tannuri, em entrevista ao Hoje em Dia, disse que a única chance que o Cruzeiro tem, para evitar a perda dos seis pontos na Série B decretadas nesta terça-feira (19) pela CBF, é ter um documento assinado pelos árabes aceitando a prorrogação do pagamento.

O chefe do departamento jurídico do clube, Kris Brettas, conduzia as negociações por este documento. Até agora, o único que o Cruzeiro tem é a negativa dos árabes em relação á prorrogação do prazo.

Confira o texto do documento enviado pelo Al-Whada ao Cruzeiro

Em referência ao seu e-mail datado de 25/03/2020 referente à proposta de criação de um “Condomínio de Credores” para negociar com eles a liquidação das dívidas do Cruzeiro Esporte Clube.

Gostaríamos de informar que o Al Whada FC já sofreu com o fracasso do Cruzeiro Esporte Clube em cumprir sua obrigação, refletindo custos e esforços substanciais para o Al Wahda FC. Enquanto isso, o Al Whada FC tem seus compromissos financeiros e obrigações para executar suas atividades.

Portanto, lamentamos informar que o Al Whada FC não está pronto para aceitar a proposta do Cruzeiro ou para atrasar a execução da Decisão da FIFA além da data especificada pelo Comitê disciplinar.

arte

CLIQUE PARA AMPLIAR