Se o Dia dos Namorados pode ser considerado uma data especial para os “pombinhos” ratificarem a força de seus laços, esta pode ser uma boa ocasião para Mano Menezes “esquentar” novamente a relação com a torcida. nesta quarta-feira (12), às 21h, contra o Fortaleza, no Castelão, o treinador cruzeirense anseia em presentear seus aficionados com um item que causou regozijo à China Azul em 111 oportunidades sob a tutela do gaúcho, mas que se tornou escasso há algum tempo: vitória!

Mano acumula seu maior jejum de triunfos em sua trajetória pelo clube: já são oito partidas seguidas sem vencer (quatro derrotas e quatro empates). Além disso, o Cruzeiro não leva a melhor em uma disputa fora de Belo Horizonte, pelo Brasileirão, há mais de um ano: a última vez que isso aconteceu, curiosamente, foi justamente no Castelão, só que contra o Ceará, no dia 3 de junho de 2018.

Trata-se de mais um ponto negativo na relação entre o treinador e a torcida, como se deu no fim de 2015, com o rompimento das duas partes – o técnico foi para a China, mas voltou em meados de 2016 – e os protestos na Toca em 2017. Os bons momentos, no entanto, falaram mais alto, assim como as várias “luas de mel”, evidenciadas no bicampeonato mineiro de 2018 e 2019 e da Copa do Brasil de 2017 e 2018.

Vencer o Fortaleza daria mais tranquilidade ao Cruzeiro e a seu treinador durante a parada para a Copa América, período que servirá de preparação para uma série de embates decisivos aos celestes em julho, incluindo as quartas de final da Copa do Brasil contra o Atlético e as oitavas da Libertadores, ante o River Plate. De quebra, significaria um presente “atrasado” ao técnico celeste, aniversariante de ontem (57 anos).

Em outras palavras, o Cruzeiro tenta dar um presente para Mano, regalo este a ser compartilhado com a torcida. Seria uma espécie de “final feliz”, após tempos de turbulência.

Término?

Se a relação entre Mano e a torcida tem solução, a do Cruzeiro com a Minas Arena torna-se cada vez mais espinhosa.

Em nota, a concessionária que administra o Mineirão informou a rescisão do contrato de fidelidade com o clube celeste. Segundo a Minas Arena, a Raposa tem uma dívida de R$ 26 milhões com a concessionária.

O Cruzeiro, por sua vez, se defendeu, dizendo que está cumprindo todas as suas obrigações contratuais.

A relação entre Minas Arena e Cruzeiro está há um bom tempo desgastada. Em 2013, ano em que passou vigorar o acordo entre as duas partes, o então presidente da Raposa, Gilvan de Pinho Tavares, acusou a Minas Arena de isentar o Atlético dos custos do duelo com o Olimpia, no Mineirão, pela final da Libertadores.

Após a conquista do Mineiro deste ano, sobre o Galo, o vice-presidente de futebol do Cruzeiro, Itair Machado, cogitou que o clube celeste poderia voltar a mandar seus jogos no Independência.

“A gente queria mandar o primeiro jogo aqui (no Independência) por conta da relação com a Minas Arena, que tem que respeitar o Cruzeiro. No Brasileiro, pensamos em mandar partidas no Independência”, disse o dirigente na ocasião. Dos quatro duelos que os azuis fizeram como mandante nesta Série A, três foram no Mineirão e um no Horto.

FORTALEZA X CRUZEIRO
Motivo: 9ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Castelão, em Fortaleza (CE)
Horário: 21h
Arbitragem: Heber Roberto Lopes, auxiliado por Alex dos Santos e Eder Alexandre, todos catarinenses
VAR: Rafael Traci (SC)
Transmissão: Premiere

FORTALEZA
Felipe Alves; Gabriel Dias, Quintero, Nathan e Carlinhos; Felipe e Juninho; Marlon, Romarinho, Marcinho e Kieza
Técnico: Rogério Ceni

CRUZEIRO
Fábio; Lucas Romero, Dedé, Léo e Dodô; Henrique e Ariel Cabral; Robinho, Thiago Neves e Marquinhos Gabriel (Pedro Rocha); Sassá (Raniel)
Técnico: Mano Menezes