Com certeza a partida mais infeliz do Atlético sobre o comando do técnico Jorge Sampaoli. Assim pode ser traduzido o duelo do alvinegro de Minas Gerais contra o Santos, nesta quarta-feira (9), na Vila Belmiro. A derrota por 3 a 1 teve contornos de uma série de infelicidades num dos palcos mais místicos do futebol brasileiro.
Pensando já no Red Bull Bragantino, adversário do próximo domingo (13), no Mineirão, o Galo começou a ter problemas já para a décima rodada logo aos 15 minutos do primeiro tempo, quando o goleiro Rafael acabou expulso, após parar o atacante Marinho na falta.

Minutos depois, o substituto Victor acabou falhando e, num tradicional "frango", viu os donos da casa abrirem o placar. A equipe do técnico Cuca, que entrou em campo com diversos desfalques e uma defesa jovem e desentrosada, começava ali a gostar do jogo.

Ainda no primeiro tempo, após grande jogada de Sasha, o Atlético chegou ao empate. Alan Franco, numa bela investida, deixou tudo igual. Cabe lembrar que, até antes da expulsão de Rafael, os mineiros eram os donos das ações da Vila e já tinham desperdiçado oportunidades importantes.

Contudo, Marinho novamente apareceu em cena. Aproveitando cochilo da zaga atleticana, o atacante deixou o dele, antes mesmo de o intervalo ser decretado.

Na segunda etapa, com um jogador a menos, o Santos tentou segurar a bola e impedir que o rápido time atleticano, reforçado por Keno no lugar de Savarino chegasse ao gol de João Paulo. Marquinhos, acionado na vaga de Jair, também foi uma das peças utilizadas nos 45 minutos finais por Sampaoli. 

Mesmo com as tentativas, o Atlético não conseguiu chegar à igualdade no placar. Com 15 pontos, o time mineiro agora está atrás de Inter, São Paulo e Flamengo na tabela.

Para piorar ainda mais ainda um cenário futuro, o técnico Jorge Sampaoli recebeu cartão amarelo, o terceiro, e não poderá comandar a equipe no fim de semana. E como se não bastasse, o preparador físico Pablo Fernandez acabou expulso ao discutir com o preparador de goleiros do Santos.

Já no apagar das luzes, o zagueiro Junior Alonso cometeu pênalti  em Marinho. Na batida, o atacante converteu e os donos da casa sacramentaram o triunfo sobre a equipe do ex-técnico.

FICHA TÉCNICA
Santos 3 x 1 Atlético
 

Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (Fifa/RJ)
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (Fifa/RJ) e Thiago Henrique Neto Correa Faria (RJ) VAR: Carlos Eduardo Nunes Braga (RJ)

Amarelo(s): Felipe Jonatan (Santos); Jair, Keno, Jorge Sampaoli (Atlético) Vermelho(s): Rafael (Atlético), aos 16 minutos do 1º tempo; Pablo Fernández, preparador físico do Atlético, e Arzul, preparador de goleiro do Santos.

Gol(s): Arthur Gomes, aos 22 minutos do 1º tempo (1-0); Alan Franco, aos 34 minutos do 1º tempo (1-1); Marinho aos 38 do primeiro tempo (2-1) e aos 53 minutos do segundo tempo (3-1).

SANTOS: João Paulo; Madson (Derick), Jobson, Alex (Wagner) e Felipe Jonatan; Diego Pituca, Carlos Sánchez (Ivonei) e Arthur Gomes; Marinho, Lucas Braga e Soteldo. Técnico: Cuca.

ATLÉTICO: Rafael; Mariano, Igor Rabello, Junior Alonso e Guilherme Arana; Jair (Marquinhos), Allan (Hyoran) e Alan Franco; Savarino (Keno), Marrony (Victor) e Eduardo Sasha. Técnico: Jorge Sampaoli.