O gol da vitória por 1 a 0 sobre o Sport, nesse domingo (6), na Ilha do Retiro, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro, reiterou uma situação que se tornou uma marca na carreira de Hulk, com apenas três meses de trajetória pelo Atlético.

Anunciado no início de 2021 como reforço do Galo, o atacante chegou a Belo Horizonte com números expressivos: média de um título por ano (foram 17 conquistas em 17 anos como profissional) e cerca de 0,5 gol por jogo (0,52 para ser mais exato; 360 bolas na rede em 684 partidas disputadas).

No Alvinegro, esse rendimento vem sendo mantido. Desde sua estreia, ocorrida há exatos três meses, no dia 7 de março, na goleada por 4 a 0 em cima do Uberlândia, no Mineirão, o avante soma dez tentos em 20 confrontos, ou seja, média de 0,5 por duelo, que é praticamente o mesmo desempenho de sua carreira antes de vir para o Galo.

Ele também já comemorou um título com a camisa preta e branca, o de campeão mineiro, mantendo também a marca de uma conquista por ano. E essa média pode aumentar ainda em 2021. Isso porque Hulk e o Atlético estão na disputa do Brasileirão, da Copa do Brasil e da Libertadores.

Busca por artilharias

O atacante é o único atleta do clube a balançar a rede nesta Série A, até agora. Foram dos pés dele os dois gols do time na competição, sendo um na derrota por 2 a 1 para o Fortaleza e um no triunfo para cima do Sport. O camisa 7 é o vice-artilheiro da competição, atrás de Pikachu, do Tricolor de Aço, com três.

Na Libertadores, o Vingador está no topo da lista de goleadores, ao lado de Gabriel (Flamengo), Rony (Palmeiras) e Borja (Barranquilla), cada um deles com seis tentos.

No Mineiro, deixou sua marca duas vezes. Já na estreia da Copa do Brasil, preferiu dar uma de garçom, ao deixar Nacho livre para anotar o segundo do Galo nos 2 a 0 sobre o Remo, no Pará. No quesito assistências, aliás, o atacante também vem se destacando na temporada, com quatro passes a gol, até agora.

Em outras palavras, se os números de Hulk antes de chegar ao Alvinegro eram incríveis, depois de vestir a 7 do time, nada mudou. O que é ótimo para ele, o clube mineiro e a Massa.

Atlético