Quase 130 pilotos de todo o país, alguns vindos de locais distantes como Cuiabá ou Fernando de Noronha. E a presença, na sexta-feira, do representante verde e amarelo na MotoGP, Eric Granado (que disputará a MotoE, para máquinas elétricas), com direito a novo recorde extra-oficial para os 4.420m do Circuito dos Cristais durante testes com a equipe Honda.

A segunda etapa do Brasileiro e do GP Gerais (Mineiro) de Motovelocidade foi, na opinião dos próprios pilotos, uma das melhores da história das duas competições, com grids numerosos, boas disputas e os mineiros fazendo bonito em várias categorias.
Na Superbike 1.000 Pro, ninguém conseguiu parar o paulista Danilo Lewis (BMW), atual campeão, que recebeu a bandeirada à frente do capixaba Rodrigo Dazzi e do brasiliense Kioman Munhoz. Na subdivisão Master, no entanto, o mais rápido foi novamente o valadarense Jirios Abboud, o ‘Bananeiro’, com sua Kawasaki ZX10-R. E Ronan Dias levou a melhor na Evo (para motos com menos preparação), seguido pelos também mineiros Túlio Resende e Luciano Bastos.

Primeira
Na Supersport 600cc, o favoritismo também era de um paulista – o jovem Michel Velludo, atual campeão brasileiro – mas o degrau mais alto do pódio foi ocupado pela primeira vez pelo mineiro Antônio Franzen, o Toninho, com a Kawasaki ZX6-R da equipe O2BH Kawasaki – apenas 1s6 separou os dois ao fim da corrida.
O paulista Sérgio Laurentys terminou em terceiro, seguido pela piloto brasiliense Indiana ‘Indy’ Munhoz.

As meninas marcaram presença em grande número também na Supersport/Sport 300cc categoria para motos de menor cilindrada e ideal para os mais jovens e iniciantes. Matheus Barbosa levou a melhor sobre Caíque Menezes e Raquel Vaz. Josué Ferreira levou a melhor na subdivisão Master.

Na Naked (motos sem carenagem), válida apenas pelo GP Gerais, melhor para Fábio Gomes (BMW).

O Mineiro prossegue em 23 de junho em Curvelo. Já a terceira etapa do Brasileiro está marcada para dia 7, em locai ainda a definir. A competição retorna ao traçado mineiro para a quarta e penúltima etapa, em 6 de outubro.

Leia mais sobre automobilismo e motociclismo no site Racemotor (www.racemotor.com.br)

 

RÁPIDAS

RALLY CUESTA OFF-ROAD TERMINA COM
MINEIRO NO PÓDIO ENTRE OS UTVS


O mineiro Maurício Rocha, o Ratinho, segue na liderança do Brasileiro de Rally Baja entre os UTVs (categoria Pró Elite), depois de conquistar a segunda posição no Rally Cuesta Off-Road, disputado na região de Botucatu. Em meio a um grid de 51 inscritos, ele foi superado apenas pelo catarinense Gustavo Gugelmin com o Can-Am Maverick X3 da equipe Quadrijet/UTV Off-Road Brasil – 13 segundos separaram os dois depois de dois dias e 270 quilômetros cronometrados. O uberlandense Gabriel Cestari terminou o desafio em 11º (quarto na UTV Pró). Entre os carros, mesmo com problemas mecânicos, Marco Túlio Lana e Érick Coimbra terminaram em quinto na categoria Pró Brasil, a bordo de uma Mitsubishi L200 Triton Evolution.

IGOR FRAGA SUPERA FIM DE SEMANA DIFÍCIL E
MANTÉM QUARTO LUGAR NA F-REGIONAL

Frio e chuva na região de Roma dificultaram o trabalho dos pilotos na segunda etapa da Fórmula Regional Europa, disputada no circuito de Vallelunga. Especialmente para o mineiro Igor Fraga (DR Formula by RP), que ainda se adapta ao conjunto Tatuus-Alfa Romeo usado pela categoria. Largando em oitavo, ele recebeu a bandeirada em sétimo na primeira corrida do fim de semana, vencida por David Schumacher (filho de Ralf), à frente de Enzo Fittipaldi (neto de Emerson). No domingo, com pista molhada, Fraga terminou em oitavo, resultado que permitiu manter a quarta posição no campeonato. A última prova da rodada tripla acabou cancelada com o alagamento da pista.

ENDURO EXTREMO HARD IN HELP TEM
PILOTO DE BARÃO DE COCAIS NA PONTA

Dois dias de trilhas extremas ligando as cidades paulistas de Socorro e Monte Alegre do Sul foram o cardápio do Enduro Hard in Help, prova de velocidade válida pela Hard Enduro Brazilian Series (HEBS). Depois de ser o melhor na classificação geral na prova disputada em Barão de Cocais, sua cidade natal, Rigor Rico voltou a vencer, com a Beta da equipe R3 Racing. Seu irmão Ripi Galileu, terminou em terceiro na categoria Gold, a principal da competição. “Este formato em linha, começando em uma cidade e terminando em outra, em dois dias de muita trilha, foi muito bom para testar nossas capacidades e a dos nossos equipamentos”, destacou Rico.