O período de paralisação do calendário do futebol brasileiro, em função do Covid-19, fez os clubes concederem férias coletivas a seus funcionários e, de quebra, diminuiu drasticamente a movimentação nos bastidores. Em função deste cenário, o zagueiro Cacá, considerado um dos principais jogadores do atual elenco celeste e importante ativo do Cruzeiro, não vem mais recebendo sondagens ou propostas.

Em contato com a reportagem do Hoje em Dia, o empresário do defensor, Nenê Zini, afirmou que, com relação a ofertas e consultas por Cacá, “está tudo parado, sem definição”. Isso reforça a expectativa de que o atleta possa continuar no plantel estrelado para a disputa da Série B do Brasileiro.

Em sua entrevista de despedida da Raposa, Adilson Batista disse que estava tentando ajudar o Cruzeiro a “vender Cacá e Maurício”, mas que não obteve êxito nesta missão, ressaltando ainda o potencial desses dois atletas.

“Sobre a frase do Adilson, não tem muito o que comentar. O Cacá tem mostrado em campo um futebol consistente, tem muito potencial e irá crescer bastante. Acredito que ele ajudará muito o Cruzeiro neste ano a retornar à Série A”, destacou Zini.

Cacá é um dos atletas mais valorizados do plantel atual. Segundo o site Transfermarkt, o zagueiro tem valor de mercado de 2 milhões de euros (R$ 11,5 milhões). No elenco da Raposa, ele está atrás apenas de Dedé (2,5 milhões de euros), que se recupera de cirurgia e não está nos planos do clube para este ano.

Cruzeiro

Zagueiro Cacá é um dos principais ativos do clube celeste