A Federação Mineira de Vôlei (FMV) fez história no vôlei mineiro e brasileiro, mesmo durante a pausa das competições. Fora das quadras, a entidade movimentou o esporte com o do 1º Encontro Internacional de Voleibol FMV, que reuniu cerca de 200 participantes em 30 horas produtivas de muitos conhecimentos, trocas de experiências, debates e atualização do voleibol.

Foram quatro dias de palestras on-line com nomes reconhecidos mundialmente pelo bom trabalho desempenhado em suas equipes e seleções. Entre os participantes, ex e atuais atletas, treinadores, professores e medalhistas olímpicos, como William Arjona e Sheilla Castro, convidada a madrinha do evento, ao lado do multicampeão Filipe, do Sada Cruzeiro, três vezes campeão do mundo com o time celeste, padrinho da iniciativa.

Os quase 200 inscritos deram uma verdadeira “volta ao mundo” do conhecimento. O ciclo de palestras começou na última sexta-feira, com o italiano Nicola Negro, técnico da equipe Itambé/Minas, falando sobre a atualidade do vôlei feminino, e, na sequência, Fábio Correia, preparador físico do Sada Cruzeiro falou sobre “o saber do treinador”. Já no sábado, um dia inteiro de muito voleibol, com palestras que passaram por análises de dados, estatísticas e melhoras no desempenho dos atletas, além da atualidade da modalidade no masculino. Neste dia, os participantes assistiram nomes internacionais, como o australiano Mark Lebedew e o canadense Glenn Hoag, além dos brasileiros Henrique Modenesi e o técnico Rubinho Leonaldo, um dos organizadores do evento e assistente de Bernardinho na campanha do ouro olímpico na Olimpíada Rio'2016.

O domingo foi marcado por mais quatro palestras espetaculares que trouxeram muito aprendizado aos participantes. Rubinho falou sobre o cenário internacional e o brasileiro, passando pela base até o adulto. Com ampla experiência no vôlei francês, o brasileiro Maurício Paes falou sobre a formação de atletas no país europeu. O reconhecido italiano Maurício Barbiero trouxe detalhes de como é o modelo de formação na Itália, uma das principais escolas do mundo na modalidade. E uma palestra muito importante comparou o vôlei ao futebol. O brasileiro Eduardo Tega, consultor de desenvolvimento e inovação no esporte, falou do modelo da UEFA, no futebol europeu, e o que pode ser tirado de modelo para o vôlei brasileiro.

Marcelo Mendez

Marcelo Mendez encerrou a programação do evento

No feriadão da Independência do Brasil, mais palestras para fechar o encontro com chave de ouro. O preparador físico da Sada Cruzeiro, Fábio Correia, deu uma aula sobre o controle de cargas e de treinamento. Em seguida, Cesar Benatti, brasileiro com ampla experiência no exterior, falou sobre a formação americana na universidade. O experiente treinador brasileiro Marcelo Fronckowiak, com passagens por Minas, Rio de Janeiro e seleção brasileira, atual técnico do Cuprum Lubin, da Polônia, palestrou sobre a relação de atletas jovens com os adultos, um momento importante na formação de novos jogadores.

Por fim, o responsável por colocar a bola no chão pela última vez e fechar a partida em 3 sets a 0 foi o argentino Marcelo Méndez. Treinador com experiência internacional, comandante da seleção de seu país e no Sada Cruzeiro há uma década (conquistou três campeonatos mundiais, seis Superligas, sete Sul-americanos de Clubes e cinco Copas do Brasil). Com tal currículo, Méndez falou sobre o modelo de formação argentino para encerrar o evento.