camilo, felipe baxola, wagner, cruzeiro, mirassol, ceará

A dupla Enderson Moreira e Ricardo Drubscky, mesmo com pouco tempo de casa no Cruzeiro, já mostra pelo menos no discurso que a política de trabalho e contratações do novo departamento de futebol do clube tomará um rumo diferente daquela que o ex-treinador, Adilson Batista, tinha planejado junto ao antigo diretor de futebol, Ocimar Bolicenho.

Tanto que Enderson Moreira, agora treinador, ignorará a lista de interesses que o ex-comandante deixou antes de sair do clube. 

"Não tive acesso a essa lista e acho também que não é conveniente. O Adilson tem seu pensamento, eu penso de outra forma, são diretores diferentes agora com o Ricardo Drubscky. Estamos no processo de avaliação do elenco, de observar alguns pontos de carência e buscar alternativas no mercado, que a gente acha que possam ser interessantes. A gente quer atletas que possam suprir necessidade em termos de características, trazer jogadores com características diferentes daquilo que já temos no elenco, isso é fundamental para podermos ter mais opções na construção da equipe. Acho que estamos produzindo um caminho diferente", ressaltou em entrevista coletiva, respondendo ao questionamento da reportagem do Hoje em Dia.

O HD havia revelado nos últimos dias que nomes como o do atacante Rivaldinho, filho do pentacampeão mundial Rivaldo, e que está no futebol da Romênia, além do volante Chico, atualmente na Turquia, estavam na mira de Adilson, assim como outros nomes que já não eram segredo, como o do meia Felipe Baxola, que até chegou a jogar com Enderson Moreira no Ceará.

Baxola e Nilton, que passou pela Toca entre 2013 e 2015 e já deixou claro que gostaria de voltar ao clube, não estão nas preferências de Enderson neste momento inicial de trabalho. 

"Felipe Baxola e Nilton: tratam-se de ótimos atletas. Estive agora com o Baxola (no Ceará), trabalhei com o Nilton (no Bahia), atletas de ótima qualidade, mas estamos buscando um caminho diferente. Não temos conversado muito sobre esses nomes. Podem ser algum tipo de alternativa, mas não no primeiro momento. A gente tem pensado em outras possibilidades, porque no caso de volantes temos Ariel Cabral e Jean, que chegou agora; são experientes, de perfil interessante. Temos que buscar peças com perfil diferente do que temos hoje no elenco", explicou.

Negócios de Bolicenho

O Cruzeiro, segundo apurou a reportagem, tinha negócio muito adiantado com o meia Camilo, transferência que poderia ter sido finalizada pelo ex-diretor de futebol Ocimar Bolicenho. No entanto, com a chegada de Ricardo Drubscky à diretoria de futebol e de Enderson ao comando técnico, a conversa entre o clube celeste e o empresário do jogador "esfriou totalmente".

Outro nome que chegou a ser citado ainda na Era Bolicenho, mas que acabou descartado, foi o do meia Wagner, revelado pelo América e que teve no Cruzeiro um dos melhores momentos em sua carreira, sendo, inclusive, vice-campeão da Libertadores, com Adilson Batista, em 2009.

Wagner é outro que não teve o nome aprovado nem pelo antigo departamento de futebol, que agora mira contratações de qualidade e não quantidade, como ressaltou Enderson Moreira em sua apresentação no Cruzeiro.

"Acho que o Cruzeiro tem que estar atento e agregar bons atletas à nossa equipe. Não é questão de quantidade, mas de qualidade, e que a gente possa trazer atletas que vão contribuir ainda mais com esse grupo (...) A gente está trabalhando, analisando, já passei algumas ideias que tenho, e acho que podemos buscar, jogadores com perfil interessante. Não quero trazer para o Cruzeiro jogadores que tenham perfil apenas de Série B, temos que pensar adiante. Quero trazer para o Cruzeiro jogadores com perfil de Série A e que possam participar muito bem de uma Série B, porque é importante que a gente tenha esse perfil, não podemos perdê-lo", ressaltou. 

Um único negócio ainda da gestão Ocimar Bolicenho que pode ir adiante diz respeito ao meia Régis. O meio-campista do Bahia trabalhou com Enderson Moreira e não é de hoje que agrada ao Conselho Gestor. Agora com a chegada do novo treinador haverá mais um estudo de viabilidade técnica e financeira e, caso entendido como boa opção, Régis voltaria à pauta. 

Perfil de contratações

Enderson Moreira ressaltou o que pretende ao solicitar atletas ao Conselho Gestor, que na visão do próprio treinador, na primeira reunião - videoconferência que aconteceu na última segunda - deixou claro a situação atual do clube. 

"Não acho que ter trabalho comigo é determinante. Acho que temos que buscar atletas no mercado que tenham o perfil que estamos buscanso, perfil difernete do que temos hoje para agregar de alguma forma um valor ainda maior para a equipe. O grupo gestor está fazendo muito esforço para nos oferecer essas peças, dedicando muito, fazendo cálculos, para que possamos ter a melhor equipe nesse momento. Precisamos ser muito certeiros nesses nomes, mas estamos criando uma perspectaiva boa", frisou.