Foi num momento de incerteza que ele reapareceu no primeiro turno para uma sequência de titular. O retorno deve se limitar a apenas 90 minutos desta vez, mas o lateral-direito Patric volta a ter oportunidade no Atlético em um clássico diante do América. Sem Emerson, convocado para a Seleção Brasileira sub-20, o camisa 29 será o titular no domingo.

Figura antiga no clube, e alvo de polarização entre os que valorizam sua conduta com os que criticam sua limitada capacidade técnica, Patric vive na ciranda de sempre precisar provar o valor como jogador.

Na aproximação do Dia das Crianças, são os ensinamentos de infância que o fazem trabalhar de cabeça erguida. No turno passado do Brasileirão, Emerson acumulou atuações inseguras contra Flamengo, Sport Recife e Chapecoense (duas derrotas e um empate). Agora, Patric substitui o jovem dono da posição que está em alta.

“Eu tenho uma personalidade desde infância, que marcou a minha vida. Eu gosto de ter o contato com a bola, independente da circunstância. Meu pai dizia: ‘meu filho, você é diferenciado de todos, de muitos, isso na infância, porque você nunca se escondeu’. As vaias só vão se encerrar quando parar de jogar. Enquanto eu estiver jogando, vão ter vaias ou aplausos. Mas espero que seja mais aplausos. Só que as vaias nos fazem crescer”, afirmou o jogador.

Quando foi escalado no clássico diante do Coelho, vitória de 3 a 1, Patric acabou somando sete partidas seguidas como titular. Então, ocorreu um erro no gol de empate do Bahia na Fonte Nova, nos acréscimos, e ele pegou novamente o caminho par ao banco de reservas. Outra aparição isolada diante do Atlético-PR, em vitória com o mesmo placar daquele clássico entre alviverdes e alvinegros. 

“Coincidência ou não, novamente uma nova oportunidade contra o América, como foi no primeiro turno do Brasileiro. Mais um grande clássico, grande jogo. Espero corresponder à altura. Semana boa para aperfeiçoar, fortalecer e retomar a confiança”, completou Patric.

ATAQUE FORTALECIDO
Zerado em Chapecó, o melhor ataque do Campeonato Brasileiro precisará dar uma resposta à torcida no Independência. Denilson, contratação ainda não justificada em campo, somou atuação fraca na primeira chance real no Atlético. Mas é Ricardo Oliveira que retorna a ser o “homem-gol” do time de Larghi, assim como Juan Cazares.

Além da dupla ofensiva, Iago Maidana cumpriu suspensão e pode ser escalado na zaga. Chará não joga, pois estará com a Seleção Colombiana. Mas Nathan se recuperou de entorse no tornozelo.