O empate em 0 a 0 com o Juventude, nessa sexta-feira (16), representou o capítulo final do Cruzeiro antes do começo da segunda Era Luiz Felipe Scolari na Raposa. Felipão tentará colocar em prática a tão sonhada ‘reconstrução’ a qual o clube tratou de frisar desde o dia que sucedeu o rebaixamento à Série B. A missão não será nada fácil, mas o treinador pentacampeão mundial está empenhado no novo projeto.

O primeiro desafio na luta para tirar os celestes da zona de rebaixamento – atualmente, o time ocupa o penúltimo lugar na tabela de classificação, com meros 13 pontos – será na próxima terça-feira (20), às 21h30, contra o Operário-PR, no Germano Krüger, pela 17ª rodada da competição nacional.

Os celestes vão para o Paraná com Felipão, uma nova esperança e um desempenho modesto como visitante. Fora de casa, o time disputou sete jogos nesta Série B: duas vitórias, dois empates e três derrotas. 

Por sua vez, o Operário se mostra uma equipe difícil de ser batida na condição de mandante. Em sete partidas realizadas como anfitrião, o clube paranaense soma três triunfos, três empates e somente um revés na Segunda Divisão.

Um dos vários objetivos de Scolari é fazer o ataque cruzeirense funcionar. Em 16 jogos realizados, o Cruzeiro balançou as redes apenas em 15 oportunidades, ou seja, o time marcou menos de um gol por rodada. A defesa, por sua vez, sofreu 16 tentos.

Cruzeiro