Uma noite para ser esquecida. Com uma péssima apresentação, o Atlético foi derrotado por 3 a 0 para o Cruzeiro, nessa quinta-feira (11), no Mineirão e viu a vaga nas semfinais da Copa do Brasil ficar mais distante.

A queda do Galo no Gigante Pampulha passa primordialmente por três fatores: erros individuais, apatia dentro de campo e uma produção ofensiva quase nula durantes os 90 minutos.

Erros

Surpreendido pela escalação do técnico Mano Menezes, que abriu mão do centroavante Fred, lançando a velocidade de Pedro Rocha, o Alvinegro iniciou o duelo equilibrando as ações.

Entretanto, aos 12 minutos, o próprio Pedro Rocha aproveitou que Victor estava levemente adiantado e acertou um belo chute de fora da área para abrir o placar.

Ainda tentando se recuperar do baque do primeiro gol, o Galo sofreu outro duro golpe ao ver Réver errar a saída de bola, propiciando a jogada que culminaria como o segundo gol da Raposa, marcado por Thiago Neves.

A pá de cal veio aos nove minutos. Elias perdeu a bola na intermediária e viu Robinho finalizar  duas vezes para ampliar o placar.

Apatia

Independentemente das chances cedidas ao rival durante a partida, o Atlético foi irreconhecível em campo. O abatimento e a apatia após os gols era perceptível entre os jogadores.

A organização em campo, que virou marca registrada da equipe comandada por Rodrigo Santana nos jogos anteriores, pouco existiu.

O mal posicionamento somado a  falta de reação dos jogadores em campo tornaram improvável um resultado melhor para o Atlético.

Ataque nulo

Atrás do placar durante a maioria  do duelo, o Galo foi presa fácil para a bem armada defesa Cruzeirense.

Com Cazares, Luan e Chará apagados, o jovem Alerrando esteve isolado entre os dois zagueiros da Raposa durante todo o duelo.

Nem mesmo as entradas de Otero e Geuvânio mudaram o panorama. Seguro nas saídas de gol, o goleiro Fábio não foi exigido durante a partida.

Após uma apresentação desastrosa, o Atlético terá muito o que corrigir para conseguir buscar a classificação diante do seu torcedor, na próxima quarta-feira, às 19h15, no Independência.