Dois jogos e um gol. Este é o retrospecto do atacante argentino Franco Di Santo, contratado há pouco mais de um mês pelo Atlético. Com a má fase de Ricardo Oliveira, titular da equipe, ele aparece como opção para o técnico Rodrigo Santana, que também tem o jovem Alerrandro, que também briga por uma vaga entre os titulares.

Autor do gol do alvinegro na derrota por 2 a 1 para o Botafogo, no último domingo (8), Di Santo afirma estar 100% fisicamente e deixa nas mãos do comandante a escolha por quem será o responsável por balançar as redes contra o Inter, no próximo fim de semana; vencer o Colorado, inclusive, servirá para quebrar uma sequência sem vitórias e/ou empates que já dura quatro duelos. 

"O que me entusiasma no Brasil é que aqui há uma competição dura em que várias equipes brigam pelo campeonato. Muito competitivo. Aos poucos vou me acostumando com a equipe e com o futebol brasileiro. Estamos juntos, mesmo perdendo quatro partidas. Estamos jogando bem e precisamos de um pouco mais de sorte", comenta o argentino.

"Sinto que posso fazer as duas funções. Jogar dentro da área ou sair em arrancada com a bola. Me sinto capacitado para fazer o que necessitar o técnico", acrescenta.

Questionado se é a solução para o ataque atleticano, Di Santo rechaça. Para ele, sua importância no grupo é apenas ser mais uma peça de qualidade.

"Não sou a solução. Vim apenas para complementar o que vem sido feito pelos outros atacante. Isso é uma decisão tecnica; ele decide se posso jogar 45 ou 90 minutos", finaliza.