Sem conseguir manter a “energia” da temporada passada e do último Campeonato Mineiro, Lisca procurou Marcus Salum para comunicar seu desligamento do América, oficializado nesta segunda-feira (14). Após quase um ano e meio à frente do Coelho, o treinador deixa o clube e diz que não pensa em assumir outra equipe por agora.

"Para mim é difícil (anunciar sua saída do América). Nossa relação sempre foi muito transparente e correta. Agradecer a você, presidente Marcus Salum, pela oportunidade que me deu, acreditou no meu trabalho. É difícil sair de um clube como o América, pelo ambiente que temos e o respeito de todos. Agradecer a todos os funcionários, aos jogadores, à torcida. Faltou pouco para sermos campeões na Copa do Brasil, na Série B (do Brasileiro) e no Campeonato Mineiro. Mas elevamos o nome do América, representamos muito bem o América”, disse.

Em entrevista coletiva realizada nesta segunda, Lisca afirmou que o início negativo do time no Campeonato Brasileiro acabou sendo crucial para essa tomada de decisão. Aliado a resultados no Mineiro e na Copa do Brasil, já são sete partidas consecutivas sem vitória. “É necessário um treinador com energia total. E não estou conseguindo mudar esse panorama, essa escassez de vitórias. Tenho certeza que o América vai buscar no novo comandante essa energia", comentou.

Embora haja o interesse do Internacional, ele ressaltou apenas que está “indo para casa” e não aceitando convite de algum clube. 

“Tive convite de outros clubes, fiquei e acreditei. Chegou o fim desse meu primeiro ciclo do América. Acredito que possamos nos encontrar novamente no caminho. Não posso atrapalhar neste momento. Estou mais atrapalhando do que ajudando. Agradecer a toda a população de Minas Gerais. Tivemos um pequeno problema após o jogo contra o Cruzeiro (semifinal do Mineiro), mas a cidade é maravilhosa. Vou descansar e, mais para frente, ter um novo desafio”, declarou.