E quem disse que histórias de contos de fadas não acontecem no esporte? Que o diga uma equipe que, dois meses depois de criada, em busca do entrosamento ideal e ainda sem poder mandar seus jogos em casa, ignorou a tradição de rivais como Minas Tênis e Ginástico/Olympico e já tem, na galeria, o título estadual adulto masculino de basquete.
A conquista veio ontem no Poliesportivo Só Marcas, no Estrela Dalva, com direito a grande torcida da cidade da Grande BH e uma vitória sobre o Minas mais tranquila que a de sexta-feira, definida apenas por um ponto (75 a 74). Ontem, a equipe do técnico Alexandre Arantes venceu por 68 a 61 – a vantagem de fazer dois jogos da melhor de três em seu ginásio era do clube da Rua da Bahia, dono da melhor campanha na fase classificatória.

Obrigado a vencer para igualar a série e forçar a partida de terça-feira, o Minas começou melhor e venceu o primeiro quarto por 17 a 15, ajudado por boa atuação do pivô Wesley.
Sem manter a eficiência na defesa e incapaz de repetir o bom desempenho de ataque, o MTC não conseguiu responder à reação do Towers que, empurrado pela torcida, foi para o vestiário com vantagem de cinco pontos (37 a 32). O terceiro quarto começou com domínio do mandante, que chegou a ter 11 pontos de frente no placar – mesmo conseguindo equilibrar o jogo, o Minas seguia atrás no placar e a maior experiência do calouro do basquete mineiro prevaleceu.

Vilma/Contagem Towers/Boreda/Emifor: Alexandre, Thiago, Rafael, Wanderson e Alírio. Entraram: Anderson, Raphael, Gedson, João Vicente e Bruno. Técnico: Alexandre Arantes.Minas: Wilsinho, Christian, Danilo Siqueira, Pedro Macedo e Adriano “Big”. Entraram: Wesley, Gustavo, Danielzinho e Matheus Pereira. Técnico: Cristiano Grama.

FRUTOS
Um dos destaques do campeão mineiro dentro e fora de quadra (foi um dos idealizadores do projeto), o ala/pivô Wanderson destacou o comprometimento do grupo, especialmente depois da vitória sobre o Ginástico/Olympico que levou o time às finais.

“Sabíamos que ou vencíamos o segundo jogo ou dificilmente seríamos campeões. Foi Davi contra Golias, batemos uma equipe de condição financeira e estrutura melhores. Agora queremos prosseguir o trabalho e trazer a comunidade de Contagem para o esporte.