Felipão reestreou com o pé direito no Cruzeiro. Em um jogo muito equilibrado, marcado por intensas disputas entre as equipes durante os 90 minutos, a Raposa venceu o Operário-PR por 1 a 0, na noite desta terça-feira (20), no estádio Germano Krüger, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.

O gol da equipe celeste foi marcado por Arthur Caíke, uma das apostas do experiente comandante para o duelo, aos 39 minutos do segundo tempo.

A interferência de Luiz Felipe Scolari apareceu também no autor da assistência para Caíke. Foi de Airton, acionado poucos minutos antes por Scolari, o passe para o atacante da Raposa bater firme, da entrada da área, e fazer o gol que traz um pouco de alívio ao conturbado momento que o clube estrelado atravessa dentro e fora de campo. 

Quem também merece menção de destaque é o goleiro Fábio. Aos 46 minutos, o camisa 1 da Raposa defendeu à queima roupa um chute do zagueiro Bonfim, de frente para o gol, garantindo a vitória para o time celeste. 

Com o triunfo, a equipe estrelada chegou aos 16 pontos, subindo para a 17ª colocação, ainda dentro da zona de rebaixamento, a um ponto do Guarani, primeira equipe fora do Z-4.

Os três pontos em Ponta Grossa também encerraram uma sequencia de quatro jogos sem vitória do Cruzeiro na Série B, sendo dois empates e duas derrotas.

Na próxima rodada, o Cruzeiro vai enfrentar o Náutico, no próximo domingo, às 16h, no estádio dos Aflitos, em Recife.

Um dia antes, o Operário enfrenta a Chapecoense, às 21h30, na Arena Condá, em Chapecó.

A FICHA DO JOGO

OPERÁRIO-PR 0 X 1 CRUZEIRO

Motivo: 17ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro
Local: Germano Krüger, em Ponta Grossa (PR)
Arbitragem: Diego Pombo Lopez, auxiliado por Alessandro Alvaro Rocha de Matos e Edevan de Oliveira Pereira, todos baianos
Cartões amarelos: Douglas Coutinho, Sávio, Ricardo Silva, Marcelo e Peixoto (Operário); Matheus Pereira e Adriano (Cruzeiro)
Gol: Arthur Caike (Cruzeiro) aos 39 minutos do segundo tempo

OPERÁRIO-PR
Thiago Braga; Sávio, Bonfim, Ricardo Silva e Peixoto; Leandro Vilela (Jean Carlo), Marcelo e Thomaz (Diego Cardoso); Douglas Coutinho, Jefinho e Maranhão (Fabiano)
Técnico: Gerson Gusmão

CRUZEIRO 
Fábio; Rafael Luiz, Cacá, Ramon e Matheus Pereira; Adriano, Jadsom Silva e Régis (Airton); Marquinhos Gabriel (Maurício), Arthur Caike (Jadson) e Marcelo Moreno
Técnico: Felipão