Com apenas três jogos com a camisa do Atlético, mas já tendo a confiança da comissão técnica e de grande parte dos torcedores, mesmo daqueles que brigavam pela titularidade de Rafael, o goleiro Everson tem um ídolo dentro do novo clube. Victor, que soma 419 partidas a mais que ele pelo alvinegro, além de importantes voltas olímpicas,

"Com certeza, para mim, é o maior goleiro do Atlético, se não for o maior atleta, por todos os títulos que conquistou, sendo peça funcamental em todos ele, principalmente na Libertadores. Foi uma cara que me recepcionou super bem. Eu o vi pegando aquele pênalti contra o Tijuana. Até brinco que ele está ficando velho (risos)", comentou o goleiro durante a coletiva remota desta quinta-feira (1).

"Fiquei surpreso com ele na minha estreia contra o Red Bull. Acabando o primeiro tempo, fiz minha oração e quando me levantei, estava o Victor parado, fora da área, respeitando o momento, me esperando para cumprimentar pelo primeiro tempo de jogo. Isso virou uma tradição. Todo intervalo, as primeiras pessoas que me recepcionam são ele e o Rafael, depois o Maia", acrescenta.

Sobre o respeito por Victor, que tem contrato se encerrando em dezembro e ainda com futuro incerto, o novo dono da posição destaca que o tem como professor.

"Tenho total respeito por ele e quero aprender muito, não sobre técnicas de goleiros, como também sobre o Atlético. É um cara muito especial para mim", finaliza.