Nascido na pequena cidade de Pirque, na região metropolitana de Santiago, Felipe Seymour era um ilustre desconhecido até o ano de 2005. Mas a história do garoto chileno que sonhava em ser jogador profissional de futebol começou a mudar quando ele se tornou um dos vencedores do “Adidas Selection Team”. 
 
Foi graças à participação no reality show, realizado pela marca esportiva em parceria com o canal Fox Sports, que ele ganhou projeção nacional aos 17 anos e assinou com o Universidad de Chile. Porém, depois de chegar à seleção chilena, acabou tornando-se uma “sub-celebridade” no mercado europeu e está sem clube há sete meses.
 
Agora, nove anos depois de surgir como grande revelação, o volante tem uma nova oportunidade de voltar aos holofotes. Faltam apenas os exames médicos e os testes físicos para que ele seja anunciado como terceiro reforço do Cruzeiro para 2015. 
 
O presidente da Raposa, Gilvan de Pinho Tavares, e empresários do atleta estiveram reunidos ontem na sede do clube e acertaram todos os detalhes para a contratação do jogador. Como já é praxe, o dirigente aguarda apenas a realização dos exames para anunciar oficialmente a chegada de Seymour.
 
O volante passa férias em Santiago e deve viajar para Belo Horizonte após as festas de fim de ano. Caso seja aprovado, assina contrato de um ano, com possibilidade de renovação por mais quatro.
 
Praticamente desconhecido dos brasileiros, o chileno não é exatamente o reforço que a torcida sonhava, principalmente após Tavares ter revelado que estava tentando contratar o volante Paulinho, do Tottenham, campeão da Libertadores e do Mundial com o Corinthians em 2012.
 
 
Apesar de bem cotado pela imprensa chilena, Felipe Seymour não disputa uma partida oficial desde maio, quando deixou o Spezia, da Segunda Divisão do futebol italiano. Depois disso, chegou a ser cotado pelo Argentinos Juniors, mas a negociação acabou não se concretizando.
 
“Ele é um jogador que corre durante os 90 minutos e também é habilidoso conduzindo a bola. Viveu um grande momento com a camisa da Universidad de Chile, quando conquistou títulos em 2009 e 2011. Não foi muito bem no futebol italiano, mas acredito que a passagem pelo Brasil será fundamental para ele recuperar o bom futebol e, quem sabe, até voltar à Seleção”, avalia Juan Ignacio Gardella, editor do jornal “Publimetro”, do Chile.
 
Seymour será o terceiro jogador chileno a vestir a camisa celeste – antes dele, passaram pelo Toca da Raposa o volante Maldonado e o atacante Tapia.
 
De acordo com o presidente Gilvan de Pinho Tavares, o técnico Marcelo Oliveira havia pedido mais um volante de marcação para reforçar o meio de campo da equipe, principalmente para a disputa da Copa Libertadores.
 
O chileno é o terceiro reforço do Cruzeiro para a temporada 2015, quando a equipe tentará o terceiro título continental. O lateral-direito Fabiano (ex-Chapecoense) e o atacante camaronês Joel (ex-Coritiba) já haviam sido confirmados pela diretoria.
 
Análise de Demid Palacios, repórter do chileno El Gráfico: "Um jogador diferente"
 
“Aquele é um jogador diferente”. Essa é uma frase sempre utilizada para falar de algum talento que se sobressai em relação aos demais de um elenco. Mas, ainda que Felipe Seymour seja muito bom jogador, sua “diferença” está em outros fatores. Por trás dele não está mais uma daquelas típicas histórias de jovens carentes que buscam a salvação no futebol.
 
Formado no Colégio Santo Ignacio do Bosque, um dos melhores de Santiago, o jovem loiro não participou das categorias de base de nenhum clube. Foi o “Adidas Selection Team”, um reality show de futebol realizado na televisão chilena, que o levou ao futebol profissional. Seymour comandou sua equipe à final do torneio caça-talentos e, então, foi escolhido como destaque do programa. 
 
 
Mesmo sem a experiência do futebol de base, a Universidad de Chile resolveu contratá-lo, aos 17 anos. Nesta fase, Seymour aparecia como um habilidoso e potente atacante. No entanto, foi em 2010, quando o técnico Sergio Markarian resolveu colocá-lo para jogar como volante de contenção, que teve início sua explosão no Chile. O sonho de ir para o futebol europeu o levou para a Itália, onde se destacou, mas não se fez imprescindível e acabou sendo esquecido aos poucos.
 
Agora, surpreende a todos ele ter sido contratado pelo Cruzeiro, que terá um jogador inteligente e que, com certeza, não estará envolvido em escândalos extra-campo e pode contribuir muito com sua nova equipe e seus novos companheiros. Sem dúvida, chega a Belo Horizonte um jogador diferente".