A saída de Geraldo Luiz Brinati, Ubirajara Pires Glória e Celso Luiz Chimbida do Conselho Fiscal do Cruzeiro foi consolidada por meio de uma carta, assinada pelos três, no dia 6 de maio deste ano. No documento, divulgado pelo jornalista Tiago Mattar, do portal Superesportes, nesta terça-feira (28), o trio deixa claro sua insatisfação com membros da diretoria da Raposa;

Confira abaixo trechos da carta

Na referida correspondência, os três conselheiros comunicaram aos fatos ocorridos desde 2018 até a presente data. Torna-se imperativo reiterar que, durante o tempo decorrido do mandato do atual Conselho Fiscal, a Diretoria da Instituição desrespeitou tanto as determinações legais do PROFUT, bem como do Estatuto do Cruzeiro, desconhecendo a autonomia e independência deste Conselho.

Cabe a este Conselho Fiscal, também, ressaltar que a atual gestão do clube, com a edição da referida instrução normativa, além de ferir a autonomia do Conselho Fiscal, contraria os princípios e práticas de responsabilidade fiscal e financeira e de gestão transparente e democrática do clube, inibe as ações responsáveis da instância fiscalizadora, instaura ambiente fraco de controle interno e de baixa governança, atuando deliberadamente na contramão dos grandes clubes brasileiros e internacionais.