fabio, cruzeiro


Enquanto o torcedor aguarda o resultado das investigações da Polícia Civil e do Ministério Público sobre possíveis crimes cometidos por ex-dirigentes do Cruzeiro, jogadores da Raposa seguem comentando sobre os bastidores do clube nos últimos anos. Principalmente do que ocorreu em 2019, quando a equipe celeste foi rebaixada à Série B do Campeonato Brasileiro.

O goleiro Fábio, atleta com o maior número de jogos na história do Cruzeiro, falou sobre desvios de condutas de quem deveria proteger o clube, mas que fizeram o contrário disso. 

"Se você analisar os contratos do Cruzeiro, as pessoas que tinham que proteger o Cruzeiro foram as pessoas que mais prejudicaram, porque em nenhum momento nesses contratos eles se preocuparam com o Cruzeiro. Então, quem fez os contratos dos atletas, quem contratou, o que pagou, o cara fez e o cara que era o responsável pelo bem maior que é o bem do Cruzeiro, fechou o olho e não viu, ou não quis ver, ou deixou de ver intencionalmente. As pessoas que tinham que proteger o Cruzeiro nesse aspecto, foram as pessoas que mais prejudicaram e fizeram cada contrato aí que se você ver, você fica abismado", disse Fábio em entrevista ao "Os Canalhas", programa dos jornalistas João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana na plataforma digital do portal Uol.

O ex-presidente Wagner Pires de Sá, o ex vice de futebol Itair Machado e o ex-diretor geral Sérgio Nonato são alvos de investigações e podem responder, caso o Ministério Público e a Polícia Civil encontrem irregularidades nas operações financeiras do Cruzeiro, por crimes como falsificação de documentos, falsidade ideológica, apropriação indébita, organização criminosa e lavagem de dinheiro. 

De acordo com uma das grandes lideranças do futebol cruzeirense, o novo presidente do clube está de olho nos contratos que foram assinados durante a gestão de Pires de Sá. 

"Com o Sérgio (Santos Rodrigues, novo presidente) estão indo a fundo, vendo contrato a contrato, tudo o que foi feito aí nesse 1 ano e meio de má gestão aí dentro da história do Cruzeiro", ressaltou Fábio.

Sérgio Rodrigues, inclusive, anunciou na "Live do Presidente" da última quinta-feira que o Cruzeiro vai buscar ressarcimento de valores gastos em cartões corporativos do clube. Só Wagner Pires de Sá usou quase R$ 200 mil, gastando dinheiro em bares, restaurantes, comprando chopp e até em casa de divertimento adulto no Brasil e no exterior. 

O goleiro Fábio ressalta que não só a última gestão causou prejuízos ao Cruzeiro. Outros dirigentes também proporcionaram coisas ruins ao clube, mas a conquista de títulos jogou "a sujeira para debaixo do tapete". 

"Eu também gosto de ser bem transparente, como eu falei, que não foi somente esse 1 ano e meio. Teve gestões anteriores que prejudicaram muito o Cruzeiro, mas que se apagaram porque a gente foi campeão, isso infelizmente acontece muito no futebol. O Cruzeiro está pagando um preço altíssimo de gestão de pessoas que foram campeãs dentro do Cruzeiro, mas que prejudicaram bastante financeiramente o Cruzeiro, gastaram mais do que arrecadavam e o Cruzeiro está pagando esse prejuízo hoje", comenta. 

Desde que assumiu oficialmente o Cruzeiro, em 1º de junho de 2020, Sérgio Rodrigues afirma que seu mandato será pautado pela transparência. 

"O Sérgio, um cara novo, mas com uma visão gigantesca e com experiência, também de estudo na área do esporte e com a gana de querer colocar o Cruzeiro novamente aí na primeira divisão, porque sabe da grandeza, é um torcedor de berço do Cruzeiro e queria estar dentro desse momento de construção de um novo Cruzeiro, que ele sempre bate nessa tecla, e isso daí nos dá uma referência, que a gente tem o comando", conclui o goleiro ao programa Os Canalhas.